29 de janeiro de 2022

Caderno: Aniversário da ZFM

Zona franca em tempos de pandemia

A Zona Franca de Manaus, que chega aos 54 anos de existência, enfrenta desde março do ano passado o seu maior desafio. Instalado na cidade que se transformou duas vezes em epicentro da Covid-19 no Brasil – e agora no início do ano notícia mundial por causa dos recordes nos números de mortes e internações, com direito a falta de oxigênio e outras tragédias associadas – o modelo teve que se reinventar e se adequar a sucessivos decretos, a maioria dos quais restringiu significativamente as atividades das indústrias aqui instaladas. O modelo, entretanto, é tão vigoroso ainda que continua atraindo

Discreto, porém efetivo

O general da reserva Algacir Polsin assumiu a superintendência da Zona Franca de Manaus como uma grande incógnita. Não se conhecia seu potencial para gerencial um modelo de desenvolvimento tão complexo e contestado nos grandes centros. Temia-se que chegasse aqui uma nova versão de Mauro Costa, dirigente da autarquia no governo Fernando Henrique Cardoso, que se comportava claramente como um inimigo do Amazonas. Discreto, calado, mas extremamente disciplinado, Polsin foi aos poucos conquistando a confiança de todos. Colocou a gestão para funcionar celeremente, não atrapalhou nenhum processo e chega ao momento de comemoração dos 54 anos da iniciativa contabilizando ganhos.

‘Decreto revogando artigos da Constituição é inaceitável’

Samuel Hanan foi vice-governador de Amazonino entre os anos de 1998 e 2002, chefiou a Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz), na segunda gestão de Amazonino no governo, entre 1995 e 1998. O engenheiro civil e consultor econômico, representou o Amazonas em São Paulo, no escritório da representação, em 2017. Hoje atua no mercado financeiro, e se diz ser um “colaborador”. Por telefone, atendeu a nossa reportagem para comentar sobre o cenário atual do modelo Zona Franca de Manaus, o desconhecimento dos críticos ao modelo, as propostas de Reforma Tributária e outras dificuldades que o setor industrial enfrenta no Amazonas,

https://www.jcam.com.br/Upload/images/Noticias/2020/1%20SEM/02%20Fevereiro/23/2802_TRABALHO.jpg

Gangorra do emprego permanece no distrito

O balanço dos trabalhadores do PIM em relação à evolução de emprego e salários em 2019 é que a situação piorou e que a força de trabalho foi o elemento penalizado pela crise e pela reação das empresas, que começaram a fazer mais com menos. As expectativas em relação a 2020 acabam de sofrer piora, em decorrência dos efeitos da eclosão do coronavírus na cadeia produtiva global. Os números parciais da Suframa apontavam um quadro positivo até outubro de 2019, quando o PIM estava aquecido para atender a demanda das festas de fim de ano. Naquele mês, o Polo registrou

https://www.jcam.com.br/Upload/images/Noticias/2020/1%20SEM/02%20Fevereiro/23/2802_ELETROS.jpg

‘Vantagens da ZFM serão mantidas na reforma tributária’

Assim como 2019, embora com menor ênfase, 2020 começou em clima de otimismo para a indústria eletroeletrônica. A expectativa do setor é que o ambiente econômico comparativamente melhor, em virtude da Reforma da Previdência e das medidas governamentais para azeitar a microeconomia nacional, daria o necessário empurrão na confiança e na demanda, em ano de Olimpíadas e eleições. O estrangulamento logístico global promovido pelo coronavírus e o breque na atividade fabril da China, Coreia do Sul e países vizinhos do Sudeste Asiático trouxe uma sombra de dúvida em relação à concretização desse cenário. Tratam-se justamente dos principais mercados fornecedores para