21 de maio de 2022

Caderno: Economia

Indústrias do Amazonas crescem enquanto cenário nacional é de queda generalizada

O faturamento da indústria de transformação do Amazonas avançou em uma escala de dois dígitos, em março. O emprego, que havia encolhido, esboçou reação. As horas trabalhadas e o uso da capacidade instalada das fábricas também subiram, mas em ritmo mais lento do que o de fevereiro. Com isso o Estado voltou a se descolar da média nacional, que só colecionou números negativos no período. É o que revelam os dados locais dos Indicadores Industriais da CNI (Confederação Nacional da Indústria), compilados em parceria com a Fieam (Federação da Indústria do Estado do Amazonas). Conforme o estudo, o faturamento real

Desafio de qualificação da mão de obra industrial é maior no Amazonas

Estudo da CNI (Confederação Nacional da Indústria) informa que o Brasil precisa qualificar 9,6 milhões de pessoas em ocupações industriais, até 2025, para repor inativos e preencher novas vagas. A estimativa é que 2 milhões iriam para a formação inicial, e 7,6 milhões, para formação continuada. Pelos cálculos da entidade, 79% da necessidade de formação de novos quadros para o setor nos próximos quatro anos é de aperfeiçoamento. O motivo apontado é que o mercado de trabalho está em processo de transformação, devido ao emprego de novas tecnologias e mudanças na cadeia produtiva.  Não foram informados os números por unidades

Empregos crescem no interior com a força da agroindústria e serviços

O interior do Amazonas emendou um segundo mês consecutivo de saldo positivo de empregos formais, em março. As contratações (+1.469) superaram as demissões (-1.184), gerando acréscimo de 285 postos de trabalho com carteira assinada e alta de 0,06% sobre o estoque anterior. Foi um resultado pouco superior ao de fevereiro de 2022 (+265) e ainda melhor do que o de patamar de 12 meses atrás (+223) –período em que o Estado ainda emergia da segunda onda da pandemia. Os municípios também conseguiram se manter no azul no trimestre (+457) e no acumulado de 12 meses (+2.890). A alta dos municípios

Caminhoneiros sentem no bolso reajuste do diesel

Os sucessivos aumentos do diesel afetam os caminhoneiros em todo país. Os impactos desde o anúncio do novo reajuste, de 8,87%, já pode ser  refletido no bolso de quem atua no transporte de cargas. De  acordo com representantes do segmento, a política de preços do mercado não está sendo repassada pelas transportadoras aos caminhoneiros, o que culmina num gasto maior para a categoria.  Conforme Edmilson Aguiar, presidente do movimento Amigos do Volante, as transportadoras pedem acréscimo no valor do contrato para suprir o aumento justamente para não ter disparidade e não ficar no prejuízo, porém ela não repassa aos motoristas. 

Shoppings venderam mais no Dia das Mães

Confirmando as projeções positivas, entidades que representam os shopping centers apontam que o Dia das Mães deste ano garantiu incremento ao setor em todo país. Considerando o mesmo período do ano passado, houve aumento nas vendas de 18% conforme a Alshop (Associação Brasileira de Lojistas de Shopping) e pouco mais de 28% segundo a Abrasce (Associação Brasileira de Shopping Centers). Segundo a Alshop, a previsão inicial de vendas era de um crescimento modesto, mas a curva se inverteu uma semana antes da data onde muitos foram às compras nas lojas de rua e shopping centers. Da mesma forma, a Abrasce

Contratações de mão de obra temporária deve ser maior

Seguindo tendência, as contratações de profissionais para vagas temporárias devem garantir ainda mais oportunidades no segundo trimestre deste ano. A modalidade vem expandindo o mercado de trabalho, de maio e junho do ano passado, foram abertas 552.609 vagas temporárias e tem potencial de crescimento para o mesmo período de 2022.  Além disso, a expectativa do setor é de que esse número seja 15% superior, conforme levantamento da Asserttem (Associação Brasileira de Trabalho Temporário). Com a retomada da economia associada ao relaxamento das restrições em relação à pandemia de Covid-19 essas contratações devem acontecer de forma mais harmônica, com prazos mais

Especialistas explicam o que muda com despacho gratuito de bagagem

O Senado aprovou nesta terça-feira (17), por 53 votos a 16, a volta do despacho gratuito de uma bagagem por passageiro em voos nacionais e internacionais. Com validade até 1º de junho, a MP (Medida Provisória) 1.089/21 segue para a Câmara. Se aprovada, vai para sanção ou veto do presidente Jair Bolsonaro (PL), que defende o modelo atual. Hoje, a cobrança para despachar bagagens de até 23 kg em voos nacionais, iniciada em 2017, pode significar um acréscimo entre R$ 90 e R$ 350 por trecho, a depender da companhia aérea e do destino. Para especialistas e fontes do setor,

Receita do Amazonas fica no azul

A receita tributária estadual do Amazonas seguiu positiva em abril. A soma de impostos, taxas e contribuições de melhoria saltou de R$ 1,21 bilhão para R$ 1,31 bilhão, na passagem de março para abril, apontando uma diferença de 8,26%, já descontada a inflação do IPCA. O confronto com o dado de 12 meses atrás (R $1,24 bilhão) proporcionou uma expansão de 5,61% –inflada por uma base de comparação ainda enfraquecida pela segunda onda. A arrecadação superou os R$ 5 bilhões no quadrimestre, sendo 4,17% superior à marca de igual intervalo do ano passado (R$ 4,80 bilhões). O crescimento, no entanto,

Pequenos sustentam empregos no Amazonas

Pelo segundo mês seguido, as MPEs (micros e pequenas empresas) voltaram a sustentar a geração de empregos com carteira assinada no Amazonas, em março. No total, foram abertas 2.110 novas vagas nos pequenos negócios do Amazonas, em paralelo com o refluxo das estatísticas de Covid-19. O setor de serviços respondeu pela maior parte da oferta, seguido de longe por indústria, comércio e construção. Em contraste, as MGEs (médias e grandes empresas) demitiram mais do que contrataram, eliminando 463 vagas, e contribuindo para que o saldo global de vagas formais do Estado não passasse de 1.655. Em sintonia com os impactos

Eletrobras: TCU forma maioria para aprovar privatização da estatal

Após uma votação em plenário nesta quarta-feira (18) o Tribunal de Contas da União (TCU), aprovou a privatização da Eletrobras, estatal brasileira que atua em processos de geração e transmissão de energia. Composto de nove ministros, a votação do TCU está atualmente com um placar de 6 a 1, com o ministro Vital do Rêgo se posicionando contra a venda. Por enquanto os ministros Aroldo Cedraz, relator do processo, Jorge Oliveira, Walton Alencar Rodrigues, Benjamin Zymler, Augusto Nardes e Bruno Dantas votaram a favor da privatização sob o modelo proposto pelo governo de capitalização da empresa, isto é, ofertar ações

Consumidor empobrecido leva supermercados a dobrar oferta de marcas

Quando a inflação dispara, é comum o consumidor recorrer a produtos mais baratos para que o valor da compra se ajuste ao orçamento mais apertado. Desta vez, o aumento de preços dos produtos chegou a tal ponto que as redes de supermercados até dobraram as opções de marcas para os clientes. Em 2021, os supermercadistas trabalharam com 101 marcas de arroz, 94 de feijão, 30 de biscoitos, 28 de açúcar, 25 de leite longa vida, 18 de café e 16 de óleo. O levantamento foi realizado pela Abras (Associação Brasileira de Supermercados). Com a alta da inflação, estes números podem

Otimismo renovado no varejo com Dia das Mães

Diferente do ocorrido na Páscoa, as vendas do Dia das Mães apresentaram crescimento acima do esperado pelo varejo local. De acordo com a CDL-Manaus (Câmara dos Dirigentes Lojistas de Manaus), a alta foi de 4,2% sobre os resultados obtidos na mesma data comemorativa de 2021 –período em que o setor ainda estava em processo de retorno gradual das atividades, por conta da segunda onda de Covid-19. Com isso, a receita bruta superou os R$ 153 milhões. A expectativa da entidade, mostrada em pesquisa divulgada à imprensa, era avançar 4% e faturar R$ 3 milhões a menos. O ticket médio também