16 de janeiro de 2022

Caderno: Crônica

Não esqueça sua rede

Época de Natal e final de ano. Muitas pessoas viajando para passar as festas em família. É possível que mais da metade da população manauara não tenha nascido na cidade. Muitos são do interior do estado. Há milhares que são brasileiros de outras unidades da federação. Além dos muitos estrangeiros.   Boa parte desse pessoal sai da cidade por via aérea. Mas há muitos amazonenses que vão visitar seus parentes no interior do estado viajando nos famosos barcos chamados de motor de linha. Viajar de “motor” precisa ser caboclo raiz. Os barcos levam horas e até dias para chegar ao destino.

O afeto em tempos de pandemia

O afeto em tempos de pandemia

Uma das condições de felicidade está na demonstração de afeto. Abraços, beijos e outros gestos de carinho podem transmitir paz, tranquilidade, confiança. Podem até nos curar. Fiquei intrigado com cena de um seriado sobre a família real britânica. A falecida princesa Diana pede uma audiência com sua sogra, a rainha Elizabeth II. Foi pedir apoio, orientação e afeto. Seu casamento estava em crise. A rainha foi extremamente fria. Ao final do encontro, a soberana levanta-se, como indicando que a conversa se encerrava ali. De repente, Diana se aproxima da sogra e lhe dá um abraço. A rainha parece ter ficado

https://www.jcam.com.br/Upload/images/Noticias/2020/1%20SEM/02%20Fevereiro/13/amazonia-ciclovivo.jpg

Amazônia, rios de riqueza

O ser humano é desbravador e conquistador. Nômade, caso necessário, principalmente pelas necessidades do estômago

https://www.jcam.com.br/Upload/images/Noticias/2020/1%20SEM/01%20Janeiro/18/cpro%20417.jpg

Torcedora bissexta

Tia Idalina é torcedora bissexta, então deveria torcer para a seleção sub-23, a seleção de juniores, nas Olimpíadas

https://www.jcam.com.br/Upload/images/Noticias/2020/1%20SEM/01%20Janeiro/13/cpro%20767.jpg

Excludente de ilicitude

Até que ponto é preciso impor limites às crianças, e quando seria aceitável a proibição delas em certos locais?

https://www.jcam.com.br/Upload/images/Articulistas%201/Pedro%20Lindoso.jpg

Desculpe aí patroa!

Quando Elizabeth II visitou o Brasil em 1968 a segurança descobriu um "gato" na Embaixada Britânica no Rio