Efeito cascata nas empresas brasileiras

Na grande maioria das empresas no Brasil, em especificamente pequenas e médias, existe um reflexo que retrata um grande drama corporativo, que vem cada vez mais causando um enorme efeito cascata na vida dos empresários. Devido a este cenário é fato a contradição de muitos que ficam por trás das câmeras observado o desgaste, sendo ele a maior causa, visto isso, identificamos esta escassez da gestão do empreendedorismo no Brasil. Neste momento é necessária sua discrição em desacelerar a tomada de decisão, atribuir uma consciência técnica na gestão dos grandes negócios, que é exatamente a gestão financeira que vem afetando toda a base estrutural, comprometendo a conta e o investimento dos negócios.

Isso, levando em grande parte e em consideração todas as opções plausíveis de poder expandir, estando amarrado as más condições financeiras, encarando meses e meses com todas as dificuldades internas, com os compromissos de terceiros, colaboradores, fornecedores e familiar. Com esta sobrecarga, impacta a delimitação de demandas que fogem de todo o escopo do trabalho, negligenciando todo o plano de atuação no mercado. 

É fato que o cotidiano operacional afeta, então é necessário o monitoramento dos riscos, acompanhar o comportamento dos resultado e suas diretrizes específicas, de acordo com o SEBRAE, a taxa de mortalidade das empresas no período de 5 anos é muito considerável, com mais de 30% do comércio, a indústria vem na sequência com mais de 20% e o serviço com mais de 25%, o que se deve ao fato dessa decadência de mais de 75%, são milhões delas no país, isso é a simples forma de manusear característica fundamentais de uma má gestão organizacional, relatando um período curto para essas empresas, mais da metade fecham em 2 anos, infelizmente isso fica na estatística global.

Em momentos atuais, vejo empresários a reclamar que não tem faturamento, os clientes sumiram, vendas paradas e em queda das metas, estoque depreciando, custo de demissão de funcionário, sem poder investir por não ter um capital de giro ou fluxo de caixa, confesso que isso é exatamente a total ausência de gestão, em não saber lidar com estratégias de negócios, falta de conhecimento e habilidades, estamos encarando de frente um mercado que cresce exponencialmente no mundo, que é o seguimento digital, que influencia as vendas diretas e indiretamente pelo método de aplicativos e sites inteligentes comerciais. As metodologias nas empresas precisam de estratégia inteligente, trabalhar os resultados de acordo com a capacidade dos colaboradores, dimensionar a projeção da empresa com as diretrizes bem definidas de acordo as equipes bem alocadas, uma liderança capaz de lidar com crises e comportamentos, as necessidades das empresas hoje são de organizar e estruturar pessoas aos valores da empresa, entender as necessidades e desejos dos clientes, treinar a área comercial como atender melhor e ter uma visão ampla dos negócios, a mentalidade hoje dos funcionários do seguimento comercial é muito fraca, deixa muito à desejar, muito abaixo das expectativas que uma empresa precisa, equipe acomodada desnivela totalmente o faturamento da empresa. Desenvolvendo um bom planejamento, minimiza consideravelmente as chances de crise, construindo uma base sólida para manter de pé as variações de mercado, empresas que não utilizam de ferramentas para medir o desempenho e impactos de pessoas e resultados não conseguem se manter em crescimento, empresa estagnada não agrega valor de segurança.

O desempenho de uma equipe é o reflexo do dono, os resultados de uma empresa são de responsabilidade de todos”.

Giovanni Montini

Empresário, Consultor empresarial, Autor literário de Gestão e Negócios

Contato.: 92 98607-8007

www.sie.manaus.br

Compartilhe:​

Qual sua opinião? Deixe seu comentário