6 de dezembro de 2021

No nosso Papo Logístico de hoje, vamos apresentar alguns aspectos relevantes para a estruturação de um armazém. Afinal de contas, quem aqui em nossa cidade não se deparou com a situação de ter o transito local parado simplesmente porque uma carreta está manobrando para entrar ou sair de um CD Centro de Distribuição e precisa de uma via pública para fazer uma manobra? É para evitar esta falta de planejamento que vamos oferecer algumas possibilidades de melhorias para se estabelecer um armazém ou centro de distribuição.

A escolha do local de armazém pode propiciar ou não uma razoabilidade operacional cadenciada e bem definida quanto aos seus tempos de execução. Não se descarta a possibilidade de que por conta da localização possamos atender uma gama maior de clientes com um potencial ainda maior de qualidade, uma vez, que devesse levar em consideração toda a análise da cadeia logística da empresa e ainda a intensidade pela qual este armazém será requisitado no contexto da cadeia logística.

ESCOLHA DA LOCALIZAÇÃO FÍSICA

Na hora da escolha do local físico para a construção de um armazém devem ser observadas os seguintes parâmetros quantitativos:

  • Incentivos fiscais (municipais, estaduais e federais); 
  • Custos de portos, aeroportos e estações aduaneiras;
  •  Locação de espaço de estocagem intermediária;
  •  Custos de transportes; 
  •  Custos de armazenagem;
  •  Depreciação das instalações; 
  • Custos com aluguel (prédios e 
  •  Manutenção do armazém e dos equipamentos;
  •  Custo do capital investido;
  •  Custo de mão de obra;
  •  Custo de segurança;
  •  Custos administrativos;
  •  Encargos tributários; 

METODOLOGIA PARA CRIAÇÃO DE LAYOUT DE ARMAZÉM.

  • Definir a localização de todos os espaços tais como:
  • Colunas de apoio,
  • Saídas de emergência,
  • Poços de escadas,
  • Poços de elevador,
  • Hidrantes
  • Extintores

LOCALIZAR AS ÁREAS DE RECEBIMENTO E EXPEDIÇAO

Devem ser localizadas no layout do armazém, de maneira a otimizar a eficiência destas operações; devem ser considerados os seguintes fatores:

  •  Localização das estradas e vias de acesso,
  •  O padrão desejado de tráfego interno;
  • A demanda, oferta e produtividade da mão de obra local;
  •  Localizar as áreas de estocagem
  • Quais serão os tipos de equipamentos utilizados,
  • As necessidades de corredores,
  • O tipo de estocagem,
  • A separação de pedidos,

Cada alternativa de layout do armazém deve ser previamente avaliada com o fito se estão sendo atingidos os objetivos desejados.

O layout do armazém, com base nas filosofias:

I – Intensidade de uso;

a) estocar as mercadorias de maior rotatividade o mais perto possível do ponto de uso;

b) estocar as mercadorias de menor rotatividade no fundo do armazém;

II – Semelhança;

  1. Os itens recebidos e expedidos juntos, devem ser estocados próximos;
  2. Os itens que possuem uma forte correlação, com respeito ao tipo, devem ser estocados juntos;

III – Tamanho: 

  1. Mercadorias de grande volume, devem ser estocadas próximas ao ponto de saída;

b) propiciar vários locais e tamanhos de área de estocagem;

c) estocar itens pesados em áreas com tetos baixos e itens leves áreas com teto mais elevado;

d) observar o tamanho dos itens de forma geral e não de forma parcial.

Foto/Destaque: Divulgação

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email