Encontro de autores na Feira

Começou no dia de ontem, e segue até sábado, 7, a 34ª Feira de Livros do Sesc, no Centro de Convenções Vasco Vasques, com destaque para a Editora Valer, que está disponibilizando para seus leitores cerca de 300 títulos de seu catálogo.

A Valer também está levando para a Feira um time de escritores. Ontem mesmo um grupo deles promoveu sessões de autógrafos durante o Café Literário. Foram eles, Alberino Rosa, com ‘A faca e a vaca’; Otoni Mesquita, com o clássico ‘Manaus, história e arquitetura’; Elson Farias, com ‘Poemas escolhidos’; e os indígenas Jaime Diakara, com ‘Constelação da garça’; e Itanajé Coelho, com ‘Canumã, a travessia’.

No dia de hoje acontece o primeiro, dos três lançamentos, que a editora irá promover nos próximos dias no seu estande, ‘Triádicos: poesia em pequenos formatos’, do poeta paraense João de Jesus Paes Loureiro.

“Trata-se, com outras palavras, de poemas que foram moldados em formato de miniaturas, nos quais um dos elementos essenciais é a concisão, sem, entretanto, esquecer o ritmo, a imagem e a ideia que os estruturam”, explicou Neiza Teixeira, coordenadora editorial da Valer. O lançamento ocorre às 20h45, no estande da Editora.

“Antes, às 20h, teremos a conferência ‘Cultura amazônica, uma poética do imaginário’, feita por Paes Loureiro, e a sessão de autógrafos da jornalista Ana Célia Ossame, com seu livro ‘Planeta Azul’, no mesmo horário”, avisou.

Do Nordeste para Manaus

No dia 6, sexta-feira, as sessões de autógrafos continuam no Café Literário, às 20h45, com Nícia Zúculo, autora de ‘Uma rapsódia portuguesa: testemunhas ficcionais em três romances de Lídia Jorge’; e Rebeca Reis, com ‘Das cinzas ao arco-íris’, além do lançamento do romance biográfico ‘Caminhos e caminhadas’, de Salvador Bernardino, no qual o autor pernambucano traça o percurso de sua vida difícil, “numa família pobre, porém, divertida e alegre pelas brincadeiras de criança e adolescente, na cidade de Riacho das Almas”, recordou.

“Salvador retrata uma parte do Nordeste brasileiro, com detalhes da vida cotidiana, da composição das famílias, das oportunidades e da raridade de se fazer um percurso diferente do que normalmente era o traçado para os nordestinos com menos recursos ou do interior do sertão”, disse Neiza.

“Manaus aparece como a segunda parte da sua vida, com tamanha importância, pois foi nesta cidade que ele realizou sonhos fomentados na infância. Este livro permite-nos conhecer pessoas, lugares, instituições e a refletir sobre a condição de se ter nascido em um determinado tempo e espaço”, completou.

O lançamento de ‘Caminhos e caminhadas’ ocorre às 19h. 

A noite de Tenório

No último dia da Feira de Livros do Sesc, sábado, 7, a Valer levará para a sessão de autógrafos no Café Literário, a jornalista Leila Leong, com seu livro ‘Sua majestade o gavião real’ (17h45); e ninguém menos que Tenório Telles, um dos maiores nomes da literatura amazonense, tanto como escritor quanto como coordenador editorial da maioria dos títulos publicados pela Valer. Ele fará sessão de autógrafos de ‘Viver’, ‘Renovação’, e ‘Passarinhos e outros bichos’, às 18h.

Neste dia, às 17h45, o poeta espanhol Saturnino Valladares lançará ‘Livro do frio’, do poeta Antonio Gamoneda, terceiro livro da série de poetas espanhóis que estão sendo publicados pela Valer com traduções de Saturnino.

“A idéia da série é trazer até o leitor brasileiro, os poetas espanhóis mais significativos, nunca publicados antes no Brasil”, detalhou Saturnino.

“Gamoneda é diferente de outros poetas espanhóis, porque teve uma infância muito pobre. Quando criança, de sua casa viu os presos serem mortos durante a guerra civil espanhola. Só ficou conhecido como poeta quando já estava com mais de 50 anos. Hoje ele está com 88, e é o maior poeta espanhol ainda vivo”, revelou.

Homens e livros

“Antonio Gamoneda nunca se preocupou em aproximar-se de grupos nem de tendências literárias. Essa atitude contribuiu para que, até 1987, ano em que seu livro ‘Idade’ recebeu o Prêmio Nacional de Poesia em Espanha, Gamoneda fosse um poeta praticamente desconhecido para o grande público”, falou Neiza.

“No entanto, o autor de ‘Livro do frio’ é hoje uma das principais referências da poesia contemporânea em língua espanhola, como revelam a estima e a consideração que sua obra tem despertado tanto entre críticos e escritores quanto entre leitores, merecendo a concessão dos mais importantes prêmios literários, nacionais e estrangeiros, por isso é uma satisfação para a Valer ter publicado este livro”, revelou.

A Editora Valer fecha 2019 em grande estilo, tendo publicado 57 títulos, muitos dos quais estavam há anos com edição esgotada, além de ter lançado novos e promissores autores.

“Ainda este ano, até o finalzinho de dezembro, iremos lançar mais quatro títulos e tantos outros estão sendo finalizados para o lançamento em 2020. Participar de uma feira de livros, como a tradicional Feira de Livros do Sesc, é demonstrar que acreditamos no que disse Lobato: ‘um país se faz com homens e livros’, por isso, enquanto houver leitores, a Valer estará aqui, reeditando e publicando novos autores”, concluiu.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email