4 de julho de 2022
Prancheta 2@3x (1)

Caderno: Follow-Up

ZFM, conversando a gente empreende e avança

Sobre o artigo do Estadão de 27.06.22, *Zona Franca de Manaus em busca de um futuro*, de Horácio Lafer Piva, Pedro Passos e Pedro Wongtschowski,.  Por Petronio Augusto Pinheiro Filho (*) Ainda sobre o artigo publicado no Estadão, no último dia 27, de autoria dos empresários  Horácio Lafer Piva, Pedro Passos e Pedro Wongtschowski, é nobre e justo registrar nosso agradecimento pela reflexão dedicada à economia que dá suporte ao desenvolvimento desta região primitiva e diversificada que precisa da atenção do país. O  artigo *Zona Franca de Manaus em busca de um futuro*, na ótica de três empreendedores respeitáveis e

Bio&TIC, união estável na Amazônia a partir da floresta – Entrevista com Roberto Garcia FPF-Tech

Junho é o mês do calendário Amazônia em que a floresta inicia a celebração de suas festas, por obra e graça de seu viço, vida e fartura que borbulham em profusão. E junho foi escolhido para abrir as portas da hospitalidade Amazonas para a EXPOAMAZONIA BIO&TIC 2022, o maior evento de Bioeconomia e Tecnologia da Informação e Comunicação ja realizado no coração da floresta, um sonho dos Amazônidas e uma vitrine de seus talentos, engenho, empreendedorismo e arte. Representante do T da tecnologia que vai desfilar na ExpoAmazonia, Roberto Garcia recebeu a Follow Up para uma prosa. Confira Por Alfredo

Amazônia, os que aqui vivem e os que ouvem falar daqui

“Estamos falando do artigo publicado nesta segunda-feira, 27 de junho, pelo jornal o Estado de São Paulo, sobre a Zona Franca de Manaus em busca de um futuro. Escrito pelos empresários Horacio Lafer Piva, Pedro Passos e Pedro Wongtschowski, parceiros na gestão da Natura, o texto padece de algumas distorções que precisam ser explicitadas:” Nelson Azevedo – Coluna Follow Up (*) ________________________ Há uma diferença absurda entre a suposição daqueles que avaliam à distância uma realidade qualquer e o depoimento daqueles que vivenciam essa mesma realidade em seu cotidiano. Estamos falando do artigo publicado nesta segunda-feira, 27 de junho, pelo jornal

Amazônia sem lei, sem eira nem beira

“Com a lei, pela lei e dentro da lei; porque fora da lei não há salvação.” Por Nelson Azevedo – Coluna follow-up 24.06.22_______________________ Esta sentença profética de Rui Barbosa, pronunciada em discurso na Suprema Corte há 130 anos, se deu num momento muito delicado do estado de direito na República do Brasil. Ela permanece atual e preocupante em nossos dias, em nossa Amazônia e no Brasil onde as leis costumam ser editadas em profusão e com frequente descaso. Como podemos pensar no futuro se estamos sempre pendurados na insegurança jurídica de nossos empreendimentos e na crescente intromissão/diversificação/expansão da ilegalidade? Pois bem: este

A pandemia que construiu o bem-comum

Por  Luiz Augusto Barreto Rocha 21/07/2020 NOTA DO EDITOR – Hoje é um dia muito importante para a História do CIEAM. Por isso, a Coluna Follow-up vai republicar um artigo – neste 23 de junho de 2022 – que veio a público em  21 de julho de 2020: A pandemia que construiu o bem-comum, de Luiz Augusto Barreto Rocha, ocasião em que foram encerradas as 20 conferências realizadas pelo CIEAM, FIEAM, ELETROS e ABRACICLO para mobilizar inteligências, competências, setores e atores do setor produtivo e da sociedade para enfrentar as sequelas perversas da COVID-19, a pandemia que abalou o mundo e nosso cotidiano. O objetivo: buscar

O IPI e o PGR Augusto Aras: “Não tem cabimento os argumentos da Advocacia Geral da União (AGU) de que o Amazonas é um paraíso fiscal…”

“Temos que ter cautela”, diz Aras sobre a participação de ONGs em colegiados ambientais. O tributarista e ex-superintendente da Suframa, Thomaz Nogueira, compartilhou nas primeiras horas desta terça-feira , 21 de junho, o parecer do PGR Augusto Aras, segundo o qual falta cabimento – leia-se desconhecimento dos fundamentos legais para a economia do Amazonas – aos decretos que inviabilizam o programa Zona Franca de Manaus. Diferente daquilo que as redes sociais governistas que detonaram seus canhões de fakenews para demonizar a bancada do Amazonas, acusando-a de condenar a redução de impostos, o PGR pôs os pingos nos seus devidos lugares,

Zona Franca de Manaus, o mote é priorizar o que nos une

Por Nelson Azevedo  _______________________ Um dos fatores que descrevem a eficácia e a prontidão tecnológica é a conexão entre ações, estratégias e finalidades. É assim que funcionam, igualmente, os organismos vivos no universo macro da biodiversidade da Amazônia e no plano nanobiotecnológico da biologia molecular. Ou seja, a conexão é o xis da questão. E foi essa a ideia-força com a qual iniciamos, ou melhor, enfrentamos o desafio das coordenadorias, tanto entre os diversos segmentos dos polos industriais como entre as diversas entidades de atuação da economia. Estamos convencidos de que este é o caminho da resistência, da consistência fabril de nossa malha produtiva e

Codam confirma alta nos investimentos na ZFM

Zona Franca de Manaus no STF, Alea jacta est

Estamos, em última instância, discutindo um contrato de negócio entre a ZFM e a União – o Estado brasileiro, e não com o governo federal de plantão que supõe poder frauda-lo. Por Thomáz Nogueira e Cia. – Edição BrasilAmazoniaAgora – Coluna Follow Up  A flecha, ou a sorte, foi disparada. Bancada parlamentar do Amazonas, reduzida, porém aguerrida, cumpriu sua parte e encaminhou – para o ministro Alexandre de Moraes da Suprema Corte – o posicionamento do Amazonas sobre os ataques por decretos da União Federal. O Documento em destaque tem o propósito de resguardar os direitos constitucionais da ZFM, a economia do

“Nos últimos sete anos a fome dobrou no Brasil”

(*) Régia Moreira Leite Na média nacional, 15% dos brasileiros estão abaixo da linha da pobreza, ou seja, vulnerabilidade extrema. Entretanto, a realidade varia de acordo com a região. No Nordeste, esse número é de 21%. Na região Norte, chega a 25%. E o que nós, da Amazônia, empreendedores no Polo Industrial de Manaus temos a ver com isso? Temos tudo a ver pois não somos cangurus que entre uma linha ou outra de produção enfiamos a cabeça no buraco da indiferença social. Já provamos isso. Por isso, encarecemos sua atenção para esta pequena reflexão acerca deste grande problema social,

Amazônia/Bio&TIC, o engenho e a arte de uma geração empreendedora

“…não existe nenhum caminho exceto a prosperidade. Toda sociedade desenvolvida que eu conheço atingiu o desenvolvimento por meio de um setor privado pujante. E, nesse contexto, o empreendedorismo é o principal instrumento. Buscar empreendedores no território amazônico talvez seja a mais interessante iniciativa possível, e com maior impacto no longo prazo”.  Denis Benchimol Minev – CEO da Bemol Por Carlos Koury e Alfredo Lopes________________________________ A realização da ExpoAmazonia Bio&TIC, nos dias 30 de junho a 2 de julho próximos, será o retrato de uma utopia, colorida, biotecnológica, digital e inovadora da economia sustentável da Amazônia, a partir de Manaus, a joia da Coroa, situada no

Bio&TIC, a transição para a Amazônia 4.0

É hora de avançar, quebrar paradigmas da acomodação, descartar os argumentos do conservadorismo que se opõe ao protagonismo. O programa ZFM está vivo e dispõe de um portfólio pulsante, capaz de integrar para não abrir mão da antecipação da utopia e suas pedras fundamentais de estruturação da brasilidade, de verdade. Por Nelson Azevedo(*)________________________ Longe de esvaziar o Polo Industrial de Manaus, como os recentes decretos federais, direta ou indiretamente sinalizaram, está na hora do Brasil acolher, em regime de mutirão, a planta industrial da floresta, a segunda em importância e resultados para a economia brasileira, apesar de representar apenas 0,6% dos

Amazônia, as portas abertas do esclarecimento e do reconhecimento

Por Alfredo Lopes (*)  “Pra não dizer que não falei das flores”, a secretária Glenda Lustosa, da Indústria, Comércio e Serviços, do Ministério da Economia, que tomou posse em março último, tão logo começaram a edição dos Decretos sombrios, veio visitar a Suframa. Foi recebida com a hospitalidade informal e atenta do superintendente Algacir Polsin, que tratou de mostrar-lhe o que é a tal da Zona Franca de Manaus. E neste evento, a propósito, ficou demonstrada a abissal diferença entre os que ouviram dizer e os que viram fazer.  No roteiro de Glenda Lustosa estava a Samsung, a Moto Honda