22 de maio de 2022
Advogado, professor e consultor
Advogado, professor e consultor

Luiz Castro

Injustiça Gritante

No Brasil, dentre muitas,  há uma injustiça que afeta profundamente a economia nacional e a qualidade de vida da absoluta maioria dos brasileiros: o alto preço dos combustíveis, principalmente o diesel, a gasolina e o gás de cozinha.  O Brasil é o nono país do mundo com maior produção de petróleo, posição alcançada a partir do conhecido salto produtivo do “pré-sal” na Bacia de Campos. Este avanço é fruto de uma valiosa conquista tecnológica da nossa Petrobras, empresa mundialmente pioneira na exploração profunda de petróleo em alto mar. Mas, apesar de ter atingido –cerca  de 15 anos atrás -o patamar

Portos de Lenha

Recentemente escrevi sobre o contraste entre os indicadores econômicos e os indicadores sociais do Estado do Amazonas. De um lado, nosso Estado possui o maior PIB per capita do Norte-Nordeste; de outro, mais de 500.000 pessoas abaixo da linha da pobreza, na “miséria”, além dos pobres propriamente ditos, que perfazem quase metade da população: o segundo pior índice de desigualdade social do Brasil! Manaus possui um parque industrial pujante, mas também é uma cidade repleta de abandono, marginalização, esgotos a céu aberto e violência, que cresce a cada dia. E o interior, estagnado economicamente, com raras exceções. Em suma, um

Mães de nosso Amazonas

Decidi desta vez, além de felicitar as mães que tanto merecem nosso reconhecimento, também fazer uma breve reflexão –e instigação –sobre a dura situação em que sobrevivem muitas mães amazonenses.   Quero assim primeiramente afirmar minha admiração e gratidão às mulheres mães de todas as camadas sociais, da capital e do interior. Todas são merecedoras do reconhecimento e apoio de todos nós, homens e mulheres, que valorizamos sua importância fundamental para as famílias e para a própria sociedade. Pode parecer que não, mas são elas, as mulheres em geral e, de modo específico, as mães, as principais responsáveis não somente

“Dia 1º de maio: injustiças a serem corrigidas”

Dia 1º de Maio: Dia do Trabalhador. Mas como comemorar no Amazonas essa data tão significativa, se medidas do governo federal e a falta de medidas do Governo do Estado estão causando graves ameaças aos trabalhadores da iniciativa privada e do setor público? De um lado, os dois decretos do governo federal -de redução do IPI –o mais recente do dia 28/4 -e de outro, a omissão do Governo do Estado na concessão da recomposição salarial dos professores e outros servidores estaduais –a “data base” –a que fazem jus para recuperação das perdas inflacionárias. Parece claro que o governo federal

“Uma verdadeira Nação”

Em nosso país se tornou comum o “esquecimento” do significado de datas referenciais de importantes feriados nacionais, como a Proclamação da República, a Independência e a Inconfidência Mineira. Parece que basta desfrutar do dia de folga – o que pode ser valioso para muitas pessoas sobrecarregadas de trabalho – mas o legado histórico fica relegado para segundo plano. E muitas vezes é “solenemente” ignorado. Na História do Brasil há poucos personagens com a configuração heroica de Tiradentes. Claro que houve – e há- muitos heróis anônimos – ou quase anônimos – que deram sua vida por uma causa justa, mas

Páscoa e Esperança

Há motivos de sobra para estarmos desapontados(as) com a situação atual de insegurança, violência, desemprego, arrocho salarial, inflação, corrupção e saúde pública deficiente. Esses e outros sérios problemas, como o desnível da educação pública em desfavor dos alunos mais carentes, a falta de cuidados adequados com o saneamento e o meio ambiente se associam ao crescente descrédito no sistema político… E prejudicam principalmente a população com menor renda. Em seguida, a classe média. A crise amazonense está misturada com a brasileira. Na verdade, sucessivos governos não priorizaram alternativas para nosso povo, especialmente para os jovens. Apostaram (quase) tudo na Zona

“Cada um é responsável por suas escolhas”

Há muito desencanto em relação ao sistema político e ao sistema público em geral. Brasileiros de todos os rincões do país se mostram desapontados com a ineficácia das políticas públicas, a corrupção, a inversão de prioridades, os conflitos entre os Poderes, a insegurança, a violência, o desemprego, a inflação e os privilégios descabidos numa democracia. Percebe-se o descrédito a respeito de muitas práticas que se tornaram costumeiras, como as verbas pessoais exageradas, o enriquecimento suspeito, os desvios de finalidade e outras atitudes não republicanas. Apesar disso, a vulnerabilidade econômica -ou moral –de muitos cidadãos, os  torna mais facilmente “capturáveis” para

“Cada um é responsável por suas escolhas”

Há muito desencanto em relação ao sistema político e ao sistema público em geral. Brasileiros de todos os rincões do país se mostram desapontados com a ineficácia das políticas públicas, a corrupção, a inversão de prioridades, os conflitos entre os Poderes, a insegurança, a violência, o desemprego, a inflação e os privilégios descabidos numa democracia. Percebe-se o descrédito a respeito de muitas práticas que se tornaram costumeiras, como as verbas pessoais exageradas, o enriquecimento suspeito, os desvios de finalidade e outras atitudes não republicanas. Apesar disso, a vulnerabilidade econômica -ou moral –de muitos cidadãos, os  torna mais facilmente “capturáveis” para

Saúde dos irmãos interioranos   

 Neste momento escrevo o artigo semanal a bordo de uma lancha que nos leva de volta à cidade de Eirunepé. Singramos as águas do rio Gregório, onde estivemos acompanhando atividades desenvolvidas pela UBS Fluvial do Município de Eirunepé nas comunidades ribeirinhas. Dentre estas , uma valiosa ação de prevenção ao câncer de colo de útero, com a coleta em meio líquido de material ginecológico para  exame e detecção de HPV, o processo patológico que pode se desenvolver num perigoso câncer que tem ceifado as vidas de centenas de mulheres amazonenses, principalmente do interior do Estado.      Na UBS fluvial de Eirunepé,

Saúde dos irmãos interioranos   

Neste momento escrevo o artigo semanal a bordo de uma lancha que nos leva de volta à cidade de Eirunepé. Singramos as águas do rio Gregório, onde estivemos acompanhando atividades desenvolvidas pela UBS Fluvial do Município de Eirunepé nas comunidades ribeirinhas. Dentre estas , uma valiosa ação de prevenção ao câncer de colo de útero, com a coleta em meio líquido de material ginecológico para  exame e detecção de HPV, o processo patológico que pode se desenvolver num perigoso câncer que tem ceifado as vidas de centenas de mulheres amazonenses, principalmente do interior do Estado.      Na UBS fluvial de Eirunepé,

Saúde dos irmãos interioranos  

 Neste momento escrevo o artigo semanal a bordo de uma lancha que nos leva de volta à cidade de Eirunepé. Singramos as águas do rio Gregório, onde estivemos acompanhando atividades desenvolvidas pela UBS Fluvial do Município de Eirunepé nas comunidades ribeirinhas. Dentre estas , uma valiosa ação de prevenção ao câncer de colo de útero, com a coleta em meio líquido de material ginecológico para  exame e detecção de HPV, o processo patológico que pode se desenvolver num perigoso câncer que tem ceifado as vidas de centenas de mulheres amazonenses, principalmente do interior do estado.      Na UBS fluvial de Eirunepé,

Jefferson Peres – um legado ético

 Neste dia 18 de março Jefferson Peres faria  90 anos de idade,se ainda estivesse entre nós. Mas em maio de 2018 ele partiu para a Eternidade. Quando faleceu , o saudoso senador estava desgostoso com o sistema político brasileiro, por conta de episódios graves de corrupção e outras práticas nocivas que desvirtuavam – e continuam a desvirtuar – o verdadeiro sentido da democracia. Sua decepção era tanta que ele tinha anunciado que não prosseguiria mais na atividade política. Antes de concluir seu último mandato de senador ele se foi e nos deixou órfãos do seu exemplo inspirador de conduta ética