AM não pode regredir e ser manchete negativa

Não podemos regredir! E o descuido pode nos trazer problemas gravíssimos com repercussão mundial, inclusive parando a exportação brasileira de carne para diversos países. Um caos de dimensão inimaginável! Quem lembra o passado, sabe o que é isso.

O Amazonas já está livre de vacinação em 14 municípios, mas a retirada da vacina nos demais municípios já estava bem encaminhada, mas recente auditoria do ministério da agricultura retirou o Amazonas por não cumprir algumas exigências legais e necessárias.

O estado do Piauí também ficou de fora, mas o governador já esteve no ministério e pelo que vi no SITE da “ADAF de lá”, o Piauí já recebeu alguma sinalização positiva do MAPA já que em abril terá nova auditoria.

Estou alertando porque quem não é do ramo, que não conhece o assunto em profundidade, e tem o poder de decisão, pode achar que isso não significa nada, mas é um assunto de grande relevância ao Brasil. Um descuido, um caso de febre aftosa trava toda a exportação brasileira e prejudica nossa balança comercial.

Repito, problema nessa área trava a exportação de carne de todo o país, joga os olhares do mundo e do Brasil para cima do Amazonas. É meu dever alertar, pois o documento/ofício a que tive acesso do MAPA não aparece o nosso Estado, o nosso Amazonas.

Não tenho dúvida que temos como atender o que foi visto e exigido pela auditoria do MAPA, como vinha sendo atendido, e reverter a exclusão do Amazonas. A superintendência federal do Amazonas está por dentro de tudo, e entidades locais ligadas ao AGRO tem se esforçado para rever essa decisão, mas não avança se não tiver o compromisso do estado em atender o que pediu o MAPA.

Em contato com especialista no assunto, ele me disse que “…se nada for feito, o status de Livre de Febre Aftosa sem Vacinação dos 14 municípios corre risco…Trava a exportação e impede a negociação para ampliar os negócios com países mais exigentes com relação a sanidade…”. É do meu conhecimento que o FAEA e a SFA-AM, por meio do presidente Muni Lourenço, e do superintendente Guilherme Pessoa, tem mantido contato com o Estado para que seja adotada urgente providência na tentativa de rever esse retrocesso. Segundo a Emdagro, a busca pelo status de área livre da febre aftosa sem vacinação reforça a qualidade da carne produzida no país no cenário global, trazendo benefícios, principalmente, econômicos para o Brasil

16.01.2024Thomaz Antônio Perez da Silva Meirelles, servidor público federal aposentado, administrador, especialização na gestão da informação ao agronegócio. E-mail: [email protected]

Compartilhe:​

Qual sua opinião? Deixe seu comentário