Votação da PEC será adiada outra vez

A tão aguardada votação da PEC nº 506, que prorroga os benefícios fiscais da Zona Franca de Manaus por mais 50 anos, não deverá ocorrer novamente. Com a crise de relacionamento entre PT e PMDB a bancada amazonense na Câmara considerou muito arriscada realizar a votação no dia 18 de março, como estava previsto, e já solicitou a retirada da pauta ao presidente da casa, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN).
O deputado federal, Henrique Oliveira (PR), conta que os desentendimentos envolvendo PMDB e PT estão obstruindo a pauta e que seria um risco muito grande colocar a matéria em votação no momento. “Com essa confusão toda é difícil e perigoso pressionar para votação ser feita semana que vem. Na hora que o céu estiver bom pra gente, então iremos pressionar o presidente Henrique Alves para que coloque em votação. Por enquanto, não é vantajoso, nem seguro. Posso assegurar que não será semana que vem. A votação não acontece semana que vem”, afirmou o deputado.
O deputado Carlos Souza (PSD), informou que a ideia de que o adiamento da votação é a melhor opção é consenso entre os deputados do Amazonas. “Estamos sentindo que o clima lá é horrível. É um pensamento de toda bancada, acredito que seja o pensamento do governador que conversou com o líder do PMDB na câmara e não recebeu nenhuma garantia de que fosse aprovado caso entrasse em pauta”, conta.
A assessoria do governador Omar Aziz confirmou que ele não tem viagem marcada para Brasília e não trabalha com a ideia de que a votação ocorra esta semana. O secretário de Fazenda do Estado, Afonso Lobo, contou que foi informado pelo deputado Átila Lins (PSD), relator da PEC, de que a votação não iria mais ocorrer dia 18. “Com certeza não será semana que vem. Esperamos que não demore por muito tempo, mas semana que vem não será. Quando a votação estiver na pauta, iremos para lá, eu, o governador, o superintendente. Iremos todos para Brasília”, comenta Afonso Lobo. O Jornal do Commercio tentou entrar em contato com o deputado Átila Lins, mas segundo sua assessoria o deputado estava em viagem pelo interior do Estado.

Eduardo Braga
Na contramão do posicionamento dos deputados, o senador Eduardo Braga (PMDB), continua trabalhando com a ideia de que a votação ocorra nesta terça-feira. Segundo a assessoria do senador ele ainda acredita que a votação possa ter sucesso se realizada no dia 18 e pede o engajamento de todos para que a pauta não seja adiada.
Para o deputado Henrique Oliveira o senador está sendo demasiadamente otimista e realizar a votação seria precipitação. “Ele é líder do governo e é do partido da Casa, tem todas as armas para conseguir isso e achar que possa, mas está sendo otimista demais. O Eduardo Braga não tem o sentimento da Câmara, ele é senador, ele não convive no dia a dia com os deputados como eu convivo. Enquanto não tiver o PL da informática e essa calmaria entre PMDB e PT isso não pode ser votado, é precipitação e não pode ser feito”, afirmou o deputado.
O deputado Carlos Souza fez coro ao discurso do colega e afirmou ser praticamente impossível que o senador consiga algo esta semana. “O clima de tensão é muito forte, muito grande. O Eduardo Braga é senador e o clima no senado não está tão tenso como na Câmara”, comenta.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email