Usinas vão entrar em operação no interior

As usinas termoelétricas movidas a gás natural localizadas em Anamã (a 168 km de Manaus), Anori (a 200 km), Codajás (a 237 km) e Caapiranga (a 140 km), municípios amazonenses que estão no traçado do gasoduto Urucu-Manaus, vão entrar em operação em dezembro deste ano. No segundo trimestre de 2010 será a vez da usina de Coari (a 368 km) e no quarto trimestre do mesmo ano Iranduba (a 34 km) e Manacapuru (a 68 km).
O cronograma foi repassado pelo ministro de Minas e Energia, Edson Lobão, em resposta a um requerimento formulado pela deputada federal Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM). A parlamentar manifestou preocupação com a demora na construção das sete usinas nos municípios do trecho do gasoduto de 661 quilômetros que, no início, vai transportar 5,5 milhões de metros cúbicos de gás natural do Urucu até Manaus.
Segundo ela, a divulgação do cronograma é importante para que os municípios possam se programar, afinal a chegada do gás será fundamental para baratear o preço da energia e promover o desenvolvimento econômico beneficiando uma população de quase 250 mil habitantes.
Para a deputada, que desde o início do primeiro mandato de deputada federal reivindica a consolidação do gasoduto, a proposta de construção das usinas nos municípios foi fundamental para viabilizar o EIA/Rima (Estudo de Impacto Ambiental) do projeto.

Audiências públicas

Vanessa Grazziotin diz que a reclamação era que nas audiências públicas realizadas nos locais foi prometido que as usinas seriam instaladas por ocasião da colocação dos dutos, o que não aconteceu, embora a Petrobras tenha concluído os 125 km de ramais com dutos até os pontos de entrega.
O ministério alega que nas audiências públicas houve demandas para a substituição das usinas a diesel por usinas a gás natural, “porém não ficou definido em nenhum momento, datas ou prazos para essas ocorrências”.
O órgão diz que os pleitos para a implantação das centrais geradoras à gás dos “propensos candidatos” a PIE (Produtor Independente de Energia) estavam sob a análise da Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica). Os municípios a serem contemplados eram Coari, Manacapuru, Codajás e Iranduba.
O documento informa ainda que em 26 de maio deste ano, na sua vigésima reunião ordinária, a diretoria da Aneel indeferiu todos os pedidos dos requerentes. “Face a esses indeferimentos, a Amazônia Energia S/A tomou imediatas providência, objetivando dotar esses municípios de usinas termoelétricas a gás natural”, descreve o documento para em seguida estabelecer o cronograma.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email