Uber entrega pedido de mercados

A Uber anunciou nesta quarta-feira (7) uma nova funcionalidade nos apps Uber e Uber Eats que permitirá aos usuários fazer pedidos em supermercados em diversos lugares do Brasil. A novidade está disponível na plataforma a partir de hoje em 11 cidades brasileiras e tem o apoio da Cornershop, popular serviço chinelo de compras de supermercados que está em processo de aquisição pela empresa de mobilidade.

A princípio, a opção “Mercado” aparecerá para usuários das cidades de São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Belo Horizonte, Porto Alegre, Curitiba, Florianópolis, Salvador, Recife, Goiânia e Campinas. Segundo a empresa, o anúncio de hoje ocorre após registro de um aumento de 176% nos pedidos de supermercados em mais de 30 países desde fevereiro —período quando a crise do novo coronavírus (SARS-CoV-2) começou em muitos países.

“A integração de hoje marca um passo importante na nossa parceria com a equipe da Cornershop para levar a intermediação de compras e entregas a milhões de usuários da plataforma Uber”, disse o diretor do Uber Eats para a América Latina Eduardo Donnelly.

No Brasil, a novidade terá parceria com as redes de supermercado Carrefour e Big, mas as lojas Varanda, Emporium São Paulo, Gimba e Cobasi também estarão disponíveis para atender os usuários por meio dos aplicativos.

A função aparecerá nos apps Uber e Uber Eats no menu “Mercado”: os usuários poderão clicar sobre ela para fazer pedidos de diversos itens, como frutas, congelados e bebidas, sempre com a opção de visualizar as informações sobre cada produto.

Parceria promissora

A Uber anunciou a aquisição de participação majoritária da Cornershop em outubro de 2019 com a promessa de expandir os serviços da plataforma para mais países —incluindo o Brasil. Em janeiro, a startup começou a atuar no país e, em apenas seis meses, tornou-se o mercado mais acelerado da empresa no mundo.

Em comunicado, a empresa afirmou que o investimento majoritário na Cornershop deve ser concluído nos próximos dias em toda América Latina, com exceção do México, onde ainda faltam alguns trâmites junto aos órgãos que regulamentam o mercado. Recentemente, a startup chilena firmou parcerias para levar os serviços aos EUA e Canadá.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email