Olá, como vão. Espero que todos estejam bem de saúde. Nosso Papo Logístico de hoje aborda um dos assuntos mais importantes no que tange a armazenagem. Acompanhe, boa leitura.

Um sistema localizador comprometido com o layout do armazém pode propiciar um custo menor na despesa total do armazém. Para que isto aconteça vamos apresentar dois modelos:

Sistema de localização fixa

Se refere a uma localização designada permanentemente dentro do depósito, geralmente identificada por um código de letras e números. O produto é atrelado ao código e estará disponível sempre naquela localização.

Se a variedade de produtos estocados for pequena, pode não haver uma formalização do código, portanto, neste caso bastará um mapa de localização. A capacidade de cada localização fixa de produto é projetada para níveis de pico de estoque. Quando existem níveis de produtos menores que os de pico, o espaço de estocagem no depósito é subutilizado.

Sistema de localização aleatória

Este sistema trabalha com a disponibilidade de espaço no estoque, permitindo a utilização mais completa do espaço. Neste caso, pode-se combinar o excesso de espaço para um determinado produto com a necessidade de pico de um outro produto, desta forma, todo o espaço estará sendo aproveitado. Porém, o controle fica mais difícil, pois tanto os mapas como as listas de códigos localizadores, sofrerão constantes modificações, ou se preferir, atualizações. Um sistema localizador aleatório, é, então, aplicado, mas com a restrição de que permitirá localizar os produtos aleatoriamente apenas dentro das zonas designadas para eles, onde a localização do produto é fixa dentro de sua zona, previamente determinada. Desta, forma percebe-se então que a localização do produto é fixa entre as zonas, mas não dentro das mesmas.

A criação de áreas de separação de pedidos tende a minimizar o tempo de serviço no local do estoque. Além de apenas especificar e projetar as áreas de acordo com as necessidades primárias, o tempo de viagem de separação de pedidos pode ser reduzido mais através da escolha de equipamentos especializados de separação de pedidos, tais como estantes de luxo, transportadores e outros, e por projeto operacional, como sequência, zona e lote.

Foto/Destaque: Divulgação

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email