Setor comemora produção de TVs

A três meses da Copa do Mundo a indústria celebra a alta na produção de televisores. Segundo o Sinaees (Sindicato da Indústria de Aparelhos Elétricos, Eletrônicos e Similares de Manaus), os números refletem o otimismo do setor e já garantem o bom desempenho no ano. De acordo com o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), os produtos da linha marrom, puxados pelos televisores, tiveram crescimento de 87,8% em fevereiro, em relação a igual mês do ano passado.
A produção de itens da linha marrom já havia apresentado o maior crescimento entre os subsetores em janeiro, com avanço de 55,2% em relação a janeiro de 2014. No acumulado do ano, o avanço é de 71,2%. Além de televisores a “linha marrom” de produtos compreende aparelhos de som, DVDs e home theaters. Segundo o presidente do Sinaees, Celso Piacentini, esses produtos devem ser comercializados até maio. “O ano positivo já esta garantido com o que foi produzido até agora. Não vejo como não sair. Não há riscos. Até maio ainda teremos esse feito”, comenta.
O presidente do Cieam (Centro das Indústrias do Estado do Amazonas), Wilson Périco, lembra que além da proximidade do mundial, a baixa no preço dos produtos também incentiva o consumidor. O “boom” nas vendas deve ocorrer por ocasião do Dia das Mães. “A Copa é o grande motivador, mas o valor do produto que caiu muito também incentiva. É quase 10% do que custou em 2008. Esses televisores que são disponibilizados para o varejo, boa parte deles é vendida agora. Mas a grande data é maio por conta do Dia das Mães”, conta. O setor produtor de bens de consumo duráveis, onde se encontram os televisores, ao avançar 20,9% em fevereiro de 2014, assinalou a expansão mais intensa desde março de 2010, outro ano de Copa, que obteve 25,8% e interrompeu quatro meses de resultados negativos consecutivos nesse tipo de comparação.
Os indicadores da Suframa (Superintendência da Zona Franca de Manaus) também reforçam o otimismo do setor. A produção industrial em janeiro foi 442% superior para TVs de plasma e 57,8% superior para TVs de LCDs. O PIM produziu ao todo 1,248 milhão de TVs LCD em janeiro de 2014 contra 791 mil de janeiro de 2013. Já as TVs de Plasma foram 188 mil produzidas em 2014 contra 34,6 mil em igual período de 2013.

Sem impactos
Segundo os empresários, nem mesmo os problemas enfrentados pela Suframa em 2014 devem frear as expectativas do setor. Para Celso Piacentini, os efeitos da greve, na liberação de mercadorias e problemas em contratos de TI não devem impactar no mercado de televisores. “A produção está aí. Atrapalha, mas não deve provocar impactos relevantes. Faz 43 dias hoje (ontem); se fosse para prejudicar a produção, já teria sido e sentimos muito pouco isso”, comenta.
Para Périco a questão das importações de produtos nas atividades já está equacionada. “Existe apenas uma dificuldade em inserir informação no sistema da Suframa, que depende da atividade do pessoal que ainda mantém um ritmo muito abaixo da normalidade”.

Segundo semestre
A expectativa para o segundo semestre, no entanto, é de que a produção sofra uma leve redução. “O segundo semestre tem variáveis incontroláveis. A própria Copa é uma. Se for campeão, a alegria e o otimismo podem manter o consumo aquecido, resultando em um semestre bom. A eleição também. Agora, se o resultado for ruim, somado à eleição, podemos ter um segundo semestre fraco”, acrescenta.
A H-Buster, que esteve envolvida com problemas judiciais e voltou a fabricar televisores no PIM em março deste ano também ressalta o otimismo com o setor e o momento vivido pelo segmento em 2014. A fábrica conta hoje com 350 funcionários no PIM, contra 1.500 do início de 2013, mas pretende acelerar as contratações visando o mercado gerado pela Copa do Mundo.
O diretor comercial da H-Buster, Ricardo Sartori, ressalta as boas expectativas da empresa. “Em ano de Copa do Mundo, sempre há crescimento. É um bom momento para retomar nossa produção de televisores. Como retomamos a produção agora, fica difícil mensurar o crescimento, mas com certeza há uma expectativa muito boa pela empresa. De olho nesse mercado”, conclui.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email