Sabe aquele ‘bafo de onça’? Você tem como evitar que não ocorra com seu pet

Já pensou aqueles dentes amarelados, enegrecidos, tomados pelos tártaros, sem contar com o mau hálito constante, exalando pelo ambiente e detectado quase por imediato por quem se aproxima. Não adianta manter o resto do corpo higienizado, sem cuidar também da boca e dos dentes dos animais domésticos.

Você precisa ter um olho clínico com a boca do seu pet. A falta de higienização regular é hoje responsável por todo tipo de doenças – estomatites, glossite (língua), enfim, uma infinidade de enfermidades periodentais que poderiam muito bem ser evitadas se os tutores tomassem os cuidados básicos e devidos.

O tártaro é a placa bacteriana ou biofilme que endurece a superfície dos dentes. O problema evolui com a idade. Por isso, é necessário cuidar desde cedo da boca dos bichinhos para evitar doenças no futuro e gastos com tratamentos, geralmente muito caros, nas clínicas especializadas.

As bactérias que se alojam na superfície dos dentes amolecem a estrutura que sustenta a região. E o resultado é desastroso. O bichinho fica desdentado precocemente, sendo obrigado a ingerir uma alimentação pastosa, especial. Então, se você não quer ver seu pet nessa situação, é melhor investir pesado na prevenção.

A escovação dos dentes deve começar desde cedo. São utilizados cremes dentais especiais, sem flúor, porque essa substância é extremamente nociva aos animais. As lojas pets têm hoje uma infinidade de produtos que se destinam para esse uso, com cores e sabores diversificados.

Se você quer ver sempre o seu bichinho cheiroso também na boca, cuide bem dos dentes dele. Que adianta ver seu amiguinho peludo, trajando roupas que viraram mimo e o deixam com uma aparência impecável se, ao menor contato, ele exalar aquele ‘bafo de onça’, tão desagradável e que pode afastar até as visitas. E também as pessoas de casa, que se mostram incomodadas com o mau hálito.

Se os pets tivessem consciência de que é necessário cuidar dos dentes, com certeza eles não pensariam duas vezes em cuidá-los devidamente. Mas como os bichinhos dependem de nós para a higienização, ficam à mercê da nossa boa vontade.

Comece, desde cedo, então, a cuidar da boca do seu pet. Leve-o periodicamente a um especialista para avaliar a sua dentição. E, se os tártaros, já tiverem invadido toda a camada que reveste os dentes, faça uma tartarectomia, um procedimento cujo preço varia de acordo com o tamanho do animal.

Mas se você, porém, fizer a escovação regular, possivelmente não precisará recorrer a esses recursos, evitando tratamentos dispendiosos e ainda doenças oportunistas.

POR DENTRO


. Alguns animais têm mais predisposição ao tártaro. Uns possuem o pH bucal que facilita o acúmulo da placa bacteriana, assim como acontece com as pessoas.
 
. Normalmente, as raças pequenas são mais propensas a ter tártaro, mas isso não é uma regra. Cachorros grandes também podem apresentar o problema, mas há cães pequenos que não têm essa tendência. Vai variar de acordo com o indivíduo.
 
. Os gatos também são afetados, se a escovação não for regular, como ocorre com os cães. A única forma de evitar o tártaro (ou prorrogar o aparecimento dele, caso seja um cão ou gato com mais tendência) , é escovar os dentes diariamente.

. A pasta de dente canina mais indicada pelos dentistas veterinários é a Virbac. Apesar de ser mais cara que outras, ela é a mais recomendada quando se fala em prevenção.

. Lembre que, se seu cachorro tiver muita tendência ao tártaro, mesmo com a escovação,  o problema pode aparecer. Mas se os dentes forem escovados todos os dias, o  aparecimento será retardado.

DICA ANIMAL

‘Ei, a gente precisa brincar!’

Foto: Divulgação

Não se esqueça, seu pet precisa se exercitar para liberar calorias e extravasar as tensões. Acontece que muitas vezes o bichinho fica confinado em casa, à espera da boa vontade do tutor, predispondo o aparecimento de muitas doenças como obesidade, diabetes e problemas cardíacos.

Leve o seu bichinho sempre para atividades de recreação. Ele ficará mais disposto e fortalecido contra as doenças. Nossos amiguinhos precisam também se socializar e interagir com outros animais, além de outras pessoas. São práticas saudáveis que vão melhorar a qualidade de vida deles.

Foto/Destaque: Divulgação

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Anúncio

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Siga-nos

Notícias Recentes

JC Play

Podcast

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email