22 de abril de 2021

Quer ter pet? Prepare-se para manipular coisas ‘desagradáveis’ com muito afeto

Cães e gatos convivem com o homem há milhares de anos, compartilhando emoções, afetividade, companheirismo e até hábitos alimentares. Mas se você pretende ter um amigo peludo em casa, prepare-se. Eles exigem cuidados o tempo todo, muita atenção, dão trabalho, tratamentos médicos, vacinações, enfim, todos os aspectos que envolvem saúde e uma alimentação bem balanceada para mais qualidade de vida.

Se você realmente gosta de animais, então o trabalho no dia a dia dispensado a eles regularmente passa a ser uma atividade prazerosa, não um tormento voluntário e dispendioso, como alguns veem hoje a posse de um pet. Se muitos não gostam dos peludos, deem licença, por favor, e respeitem os que morrem de amores e paixão por essas criaturas. Porque também são de Deus. Aliás, tudo que existe na natureza tem origem divina.

Você também vai conviver com situações adversas que, para muita gente, são vistas como ‘um preço’ muito caro para ter a companhia de um animal de estimação.  Manipular cocô, urina, vômitos, etc., faz parte da rotina de um pet. Será que vale a pena? Com certeza, para os amantes dos pets, essas criaturinhas que nos encantam diariamente e nos ensinam a viver, a ter mais autoestima – uma troca mútua de sentimentos e companheirismo. Quem resiste ao ver a alegria de um cão serelepe, explodindo em afetos e carinhos pelos tutores? 

Mas saiba que cães e gatos não têm as mesmas características, costumes, comportamentos, o que varia de acordo com a raça. Ao longo de 100 mil anos, quando surgiu o cão derivado do lobo selvagem, suas peculiaridades mudaram com o tempo e foram se ajustando à medida que convivia com os seres humanos. 

Hoje, são mais de 400 raças de cães que resultaram de vários cruzamentos na espécie. Da mesma forma, aconteceu com os gatos, que dividem a preferência entre pessoas  das mais variadas classes sociais.

Nesta edição, iremos comentar seis raças de cães, que figuram hoje entre as mais preferidas do homem. Falando de suas principais características, hábitos, comportamentos. O objetivo é nortear os pretensos candidatos a ter um pet e também orientar os que já têm a posse de um animal de estimação.

Na próxima edição da coluna, falaremos sobre as mais preferidas raças de gatos, como também de suas principais características e comportamentos.

POR DENTRO 

Mais comuns:

Cães

Pastor alemão

Também chamado de capa preta, o pastor alemão ostenta uma personalidade corajosa e confiante. É extremamente dócil e protetor, mas sabe agir com determinação quando o objetivo é defender os seus tutores. Muito inteligente, aprende com facilidade comandos nos adestramentos.

Poodle

Grande entusiasta do homem, o poodle é um ótimo companheiro de aventuras. Suas brincadeiras fazem a alegria de casa, mas às vezes pode ser agressivo se confrontado e obrigado a fazer algo por pressão, o que exige mais habilidade do tutor. Muito inteligente, responde com facilidade aos adestramentos.

Pinscher

Esse é o mimo de casa. De porte pequeno, já nasceu rei, pois agrada a uma infinidade de súditos, que se dividem entre crianças, adultos e pessoas idosas. Mas também tem uma personalidade forte, implacável. Pode ser agressivo se instigado e obrigado a fazer o que não quer.

Yorkshire

É conhecido como um lindo cão de companhia. Esperto e brincalhão, também atua como cachorro de guarda, alertando sobre barulhos e a presença de estranhos. Mas a personalidade da raça requer um tutor que imponha regras e dê comandos de voz, senão, ele vai começar a apresentar comportamentos inadequados.

Rottweiler

É um cão forte, robusto, e carrega a fama de ser bravo por seu porte intimidador. Mas na verdade é um cão com grande instinto de proteção e muita lealdade ao seu tutor. Quando bem treinado, o cachorro pode ser dócil, carinhoso e ótimo companheiro para a família.

Labrador

É um cão inteligente, gentil e ótimo para conviver em família. Mas não tem limites para brincadeira. Muito irrequieto, acha que os tutores estão sempre dispostos para brincadeiras, o que chega a irritar muitas pessoas. Mas é um hábito da raça explodir em alegria e afetos ao deparar com os tutores. É uma das raças mais populares nos Estados Unidos, Europa e também no Brasil.

DICA ANIMAL

‘Por que estou tão triste’

Quem disse que cães e gatos não têm depressão? Claro, eles também manifestam o distúrbio em casos de separação, estresse, isolamento, que afetam a afetividade. Em geral, os pets elegem uma pessoa da família para compartilhar sentimentos e emoções. E quando se veem sozinhos e distantes desse afeto, acabam se isolando e deprimindo, como acontece com os seres humanos.

Menos sentimentais que os cães, os gatos também sofrem de depressão. Em geral, os animais passam a recusar comidas e brincadeiras, mudam subitamente de comportamento e ficam às vezes até muito agressivos.

Outro sintoma, no caso de cães, é que eles passam a lamber compulsivamente a pata. E costumam deixar as partes feridas de tantas lambeduras. Entre os gatos, é o dorso que acaba ficando machucado pelo gesto compulsivo.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email