Produtos metálicos e não-metálicos acompanham performance

Conforme análise apresentada pelo Iedi, o segmento de média-baixa tecnologia também cresceu acima da indústria de transformação como um todo (6,6%), destacando-se produtos metálicos (8,9%) e outros produtos minerais não-metálicos (8,0%), além da indústria naval (11,8%).
A faixa de alta tecnologia cresceu 4,6%, impulsionada pelos ramos aeronáutico (17,2%) e farmacêutico (10,0%), mais do que contrabalançando a queda de 4,0% na indústria de material eletrônico e de comunicações. Por fim, com menor incremento (1,0%), as indústrias de baixa tecnologia tiveram contra si o recuo nos manufaturados não especificados (-3,6%) e em alimentos, bebidas e fumo (-0,5%).
No acumulado do primeiro semestre o setor de maior destaque foi também o de média-alta tecnologia (10,3%), em função do aumento da produção de bens de capital mecânico e máquinas elétricas, veículos automotores, material de transporte e indústria química.
A observação pertinente sobre o setor de média-alta tecnologia é que o padrão de crescimento da indústria no corrente ano favorece muito o seu desempenho.
A outra faixa que mais registrou acréscimo na produção, no período analisado foi a de média-baixa tecnologia, embora sua evolução tenha se dado em nível inferior à média, com 3,9% de variação, contra a média da indústria de transformação de 4,8%.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email