16 de abril de 2021

País reciclou 91,5% de sua latas de bebida em 2008 e manteve liderança mundial

A Abal (Associação Brasileira do Alumínio) e a Abralatas (Associação brasileira dos Fabricantes de Latas de Alta Reciclabilidade) informam que o país reciclou 91,5% do total de latas de alumínio para bebidas comercializadas no mercado interno em 2008

A Abal (Associação Brasileira do Alumínio) e a Abralatas (Associação brasileira dos Fabricantes de Latas de Alta Reciclabilidade) informam que o país reciclou 91,5% do total de latas de alumínio para bebidas comercializadas no mercado interno em 2008. Segundo dados das duas entidades, foram recicladas no ano passado 165,8 mil toneladas de sucata de latas, o que corresponde a 12,3 bilhões de unidades –  3,6 milhões por dia ou 1,4 milhão por hora.
Esse resultado mantém o Brasil na liderança mundial, pelo oitavo ano consecutivo. Mesmo com um índice ligeiramente inferior, o volume coletado em 2008 foi 3,2% maior que o registrado em 2007, enquanto as vendas de latas de alumínio para bebidas cresceram 8,8% no mesmo período.
A queda no nível de atividade industrial no último trimestre de 2008 explica a diferença de crescimento entre a venda e a reciclagem de latas. Segmentos importantes consumidores de sucata de latas, como o de fundição, siderurgia e ferroligas, diminuíram drasticamente sua produção e, consequentemente, a compra de matéria-prima. Isso fez com que as empresas recicladoras reduzissem suas compras no final do ano, ocasionando um aumento de estoques nos comerciantes de sucata, uma vez que não foi identificada redução na coleta do material.
“O resultado da reciclagem de latas de alumínio no ano de 2008 comprovou, mais uma vez, que a sustentabilidade de toda a cadeia, desde a coleta até o processamento pela indústria, está definitivamente consolidada no Brasil. É uma inequívoca demonstração do esforço promovido nessa atividade, que tantos benefícios traz ao país, ao meio ambiente, à economia e à sociedade em geral, mesmo consideradas as dificuldades enfrentadas no último trimestre do ano, decorrentes da crise econômica mundial”, encerrouo o coordenador da Comissão de Reciclagem da Abal, Henio De Nicola.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email