22 de janeiro de 2022

Negócios com o Panamá superam expectativas dos empresários do Estado

Os quatro dias da Expocomer 2011 (Exposição Comercial Internacional do Panamá) foram muito favoráveis para os empresários do Brasil que participaram do evento

Os quatro dias da Expocomer 2011 (Exposição Comercial Internacional do Panamá) foram muito favoráveis para os empresários do Brasil que participaram do evento. A estimativa da Apex-Brasil (Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos) era de que os volumes de negociações estivessem em torno de US$ 25 milhões, porém a cifra fechou além do esperado, com US$ 27 milhões. As informações são do CIN/AM (Centro Internacional de Negócios).
De acordo com o Centro, dos 62 empresários que faziam parte da comitiva brasileira, 24 eram do Amazonas. “Tinham representantes de várias áreas como artesanato, alimentação, empresa de preservativo, de metal mecânico e de biojóias”, comentou o consultor em comércio exterior do CIN/AM, Igor Menezes.
Apesar de ainda não haver números oficias para os Estados que estiveram participando do evento, o presidente e dono da fábrica de preservativos Látex da Amazônia, José Falabella, acredita que poderá expandir para mercados como França, Estados Unidos e até o próprio Panamá, além de alguns países da América do Sul.
“Se as negociações forem fechadas com estes países, podemos alcançar cerca de US$ 1 milhão em exportações com a venda de preservativos. Esta foi a primeira vez que participei e o resultado foi muito positivo”, avaliou.
Os estandes brasileiros na Expocomer foram visitados por aproximadamente 8.000 compradores e, segundo consta no relatório da Apex-Brasil, 540 reuniões de negócios foram realizadas entre os representantes do Brasil.

Expectativas superadas

A exposição é realizada há 29 anos e há cinco o país participa do evento. A Expocomer é uma das feiras mais importantes da América Latina. O desempenho do Brasil está agradando quem vai para lá. Em 2010, era esperado um volume de transações próximo dos US$ 12 milhões, mas o número alcançou a casa dos US$ 15 milhões.
O mercado panamenho tem se demonstrado muito interessante para investimentos de outros países, pois o setor industrial é relativamente fraco. Entre os principais itens de produção do Panamá estão a fabricação de plástico, tecidos e vestimentas e artigos alimentícios, com destaque para a carne, cereais, açúcar e laticínios.
O Panamá é um dos maiores centros comerciais da América Central, no qual estão presentes todos os grandes bancos americanos e europeus. O país possui em seu território 110 bancos internacionais e também abriga uma Zona de Livre Comércio, a ZLC (Zona Livre de Colón). O Panamá é atualmente o país com a menor média de tarifas da América Latina. O máximo que é taxado chega a 15%, com exceção de produtos agrícolas, os quais podem alcançar 90%.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email