15 de abril de 2021

Marcelo Ramos quer impedir cobrança de pedágio na ponte

O que não é admissível, conforme o deputado, é que o Estado gaste R$ 1 milhão para a construção da ponte e quando a mesma ficar pronta contrata uma empresa que não gastou um centavo para explorar comercialmente

Diante do anúncio do governo do Estado de que estaria desenvolvendo um estudo para definir a cobrança de pedágio na ponte sobre o rio Negro, prevista para ser entregue no dia 24 de outubro, o deputado estadual Marcelo Ramos (PSB) vai apresentar à Mesa Diretora da Aleam (Assembleia Legislativa do Amazonas) um Projeto de Lei proibindo a cobrança.
Paralelamente, Marcelo Ramos está propondo a realização de uma Audiência Pública na Comissão de Transporte, Trânsito e Mobilidade da ALE, a qual preside, para tratar sobre essa questão com representantes do Governo do Estado e dos municípios que serão beneficiados com a ponte.
Ramos disse que é louvável o argumento do governador Omar Aziz ao dizer que a população do município de Pauini não pode pagar pela manutenção da ponte que não vai usar. “Mas ele esquece que o povo de Pauini pagou pela construção da ponte, assim como pela desapropriação do Prosamim em Manaus, quando obteve recursos do FTI para isso”, lembrou.
Na opinião de Ramos, a lógica do governador de cobrar pedágio na ponte seria aceitável se ela tivesse servido para a construção da mesma. “Neste caso contrataria uma empresa para construir a ponte, numa parceria público-privada, pois tenho certeza que não sairia por R$ 1 milhão e depois ganharia o direito de concorrer para a cobrança do pedágio”, salientou.
O que não é admissível, conforme o deputado, é que o Estado gaste R$ 1 milhão para a construção da ponte e quando a mesma ficar pronta contrata uma empresa que não gastou um centavo para explorar comercialmente. “Isso é um negócio injusto e não se pode ficar de braços cruzados diante dessa situação”, afirmou.
O deputado lembrou ainda que o governador, ainda em campanha para o governo do Estado, sempre desconsiderou a possibilidade de cobrança de pedágio na ponte sobre o rio Negro e agora estuda essa possibilidade. “É no mínimo um desrespeito para com os seus eleitores”, disse.
De acordo com Marcelo, o governador precisa ser coerente com suas posições e, por isso mesmo, honrar o que disse à população em campanha em 2010.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email