16 de abril de 2021

Manaus sobe da 11ª para a 14ª posição no ranking nacional de consumo

O consumo dos brasileiros deve girar em torno de R$ 2,20 trilhões em 2010, apresentando um crescimento superior a R$ 338 bi quando comparado com o IPC Target 2009 (cerca de R$ 1,8 trilhão)

O consumo dos brasileiros deve girar em torno de R$ 2,20 trilhões em 2010, apresentando um crescimento superior a R$ 338 bi quando comparado com o IPC Target 2009 (cerca de R$ 1,8 trilhão). Em termos reais, os cálculos do IPC Target para 2010 mostram que as despesas das famílias crescerão mais que o PIB: 6,1% . Isso indica um aumento populacional de 1%. O estudo foi feito com base em dados secundários atualizados, pesquisados em fontes oficiais de informação, utilizando metodologia própria da empresa.
A população chegará a 193,3 milhões de pessoas. O número de mulheres permanecerá maior que o dos homens (51% contra 49%). A população urbana representará 83% (em 2009, eram 83,3%), apontando um consumo urbano per capita anual de R$ 12.978,54. Neste ano, o consumo da população residente na área rural baterá nos R$ 112,4 bilhões.
No cenário nacional, nota-se um recuo da participação da região Norte, com 5,3% (2010) contra 5,7% (2009). Manaus, em contrapartida, sobe do 14º para o 11º lugar, com IPC previsto de 0,86110. A capital amazonense integra os 50 maiores municípios brasileiros, que responderão por 45,8% do consumo nacional, contra 43%, no ano passado.
O declínio participativo regional inclui ainda Nordeste –de 18,8% (2009) para 17,7%– e Centro-Oeste – 7,7% (2010) ante 7,8% (2009). A região Sudeste mantém a liderança e, junto com o Sul, apresenta crescimento no consumo nacional. O Sudeste projeta participação de 52,7% (no ano passado registrou 51,4%) e o Sul registra 16,5% (em 2009, foi de 16,3%).
Entre as inúmeras variáveis do cenário nacional o IPC Target aponta a retomada do maior consumo entre as 27 capitais quando comparado com 2009. A participação das capitais será de 34,5% em 2010, ante os 32% registrados em 2009. Em valor, a participação das 27 capitais brasileiras será de R$ 758,5 bilhões.

Consumo centralizado

São Paulo e Rio de Janeiro lideram o ranking do país e ganharam participação no IPC Target entre 2009 e 2010, fato que não ocorria há muito tempo, devido à descentralização do consumo. A capital paulista responderá por 9,64% e o Rio por 5,87% do consumo nacional –no ano passado, os indicativos eram de 8,53% e 5,31%, respectivamente.
Brasília passa a ser a 3ª maior cidade brasileira, com IPC Target estimado em 2,17749, superando Belo Horizonte (com o IPC Target de 2,13816), que cai para a 4ª posição. Destacam-se ainda Porto Alegre (voltou a ser 7ª cidade do país, com participação de 1,47591 – estava em a 8ª. no ano passado), Campinas (SP) passa a ocupar a 9ª posição, com IPC previsto de 0,99275 (saltando da 13ª, com 0,84645, em 2009).
Fortaleza e Recife mantêm-se entre as 10 maiores, mas com leve declínio. O mesmo ocorreu com Goiânia e Belém (11a e 14a. do ranking, respectivamente).

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email