Mais apps criados na pandemia

Somente nos dois últimos anos, o Brasil registrou um crescimento de 55% nas instalações de aplicativos conquistando assim a liderança entre os países da América Latina. Devido a necessidade das empresas fecharem as lojas físicas, o desenvolvimento de aplicativos foi a fórmula encontrada para continuar prestando serviços. O Brasil registrou cerca de 13 milhões de pessoas desempregadas, porém o número de profissionais sem carteira assinada cresceu 11,2%, segundo a Pnad (Pesquisa Nacional de Amostra por Domicílio), o número de pessoas ocupadas aumentou 4,8%. Muitas pessoas que perderam os empregos, encontraram o sustento por meio dos aplicativos, segundo a OIT (Organização Internacional do Trabalho), o trabalho digital cresceu 5 vezes mais durante o isolamento social.

A expectativa é que o setor de aplicativos movimente US$ 6 trilhões até o fim do ano. O perfil do brasileiro, segundo a consultoria App Annie, mantém de 70 a 80 aplicativos instalados e passa cerca de 4 horas diárias. O curso para desenvolvimento de aplicativos teve um crescimento de 12% no Cebrac (Centro Brasileiro de Cursos). Para o CEO, Rogério Silva, a procura se dá justamente pelo momento que estamos vivendo: “Antes o curso tinha um perfil mais jovem, agora vemos profissionais de outras áreas para buscar uma fonte de renda e ainda se manter em isolamento. Além de pessoas que já tem o seu negócio e decidiram aprender elas mesmas a configurarem seus aplicativos”, explica.

Em 2019, a rede foi representada na Feira Nacional do Empreendedor, os alunos do curso de desenvolvimento de aplicativos, desenvolveram um software onde o usuário ganha pontos para trocas de prêmios através de doações de roupas. A empresa pelos criada pelos alunos durante as aulas. “Em todos os cursos do Cebrac, além do aluno ter acesso ao aprendizado de uma forma interativa através do sistema PRONLINE, todos os cursos possuem módulos empreendedores. Onde através de problemas reais o aluno aprende a gerir seu próprio negócio”, afirma Rogério Silva, CEO do Cebrac .

De uma forma geral, criar um app, pode custar de 20 mil a R$ 60 mil dependendo das especificidades e funções. Hoje o tempo médio para o desenvolvimento de aplicativos é de 6 meses, porém projetos mais simples podem levar de 60 a 90 dias. Um profissional pode cobrar de R﹩200 a R﹩400 a hora do trabalho.

Foto/Destaque: Divulgação

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email