Justiça prorroga audiência para 11 de junho.

Por Richard Rodrigues

Os motoristas que operam com transportes especiais que fazem linha para as fábricas do DI (Distrito Industrial), vão ter que aguardar até o dia 11 de junho pela nova audiência no MPE (Ministério Público Estadual). A audiência marcada para ontem, entre os dirigentes sindicais de patrões e empregados não acontece porque o sindicato dos trabalhadores do setor não foi notificado.
O presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Transportes Especiais, Turismo, Fretamento, Locadoras e Carro de Valores Intermunicipal, Benjamin de Andrade, garantiu que se não houver acordo na audiência do próximo dia 11 para melhorar as condições em que o transporte especial opera, uma paralisação será iniciada. “Dependendo do resultado da sentença, decretaremos estado de greve, afinal do jeito que o setor se encontra não dá para os motoristas continuarem suas atividades”, informou o dirigente.
Além do Sindicato de Transportes Especiais, estiveram presentes na audiência no MPE, que findou não acontecendo, representantes da Fetranorte (Federação das Empresas de Transportes Rodoviários da Região Norte) e do Sifretam (Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros por Fretamento de Manaus).
Entre as reivindicações do Sindicato dos Transportes Especiais está a carga horária excessiva de trabalho que os motoristas do setor cumprem por conta da alta rotatividade das empresas do PIM (Pólo Industrial de Manaus). “Grande parte das indústrias do DI (Distrito Industrial) funcionam 24 horas e alguns motoristas chegam a trabalhar até 12 horas por dia”, informou o diretor do sindicato, Geraldo Firmino, ressaltando que a categoria está querendo reduzir sua carga para pelo menos dois turnos.

Sanar
problemas
Para o chefe de coordenadoria da Fieam (Federação das Indústrias do estado do Amazonas), Flávio Dutra, a expectativa é que as partes envolvidas nos trabalhos entrem em um consenso para sanar todos os problemas que o setor tem passado, já que as indústrias não têm interesse em prejudicar os motoristas, e reconhece a importância que o trabalho dos profissionais têm para as empresas locais.
De acordo com Geraldo Firmino, a categoria vai se reunir em assembléia geral, que será realizado pela entidade amanhã, a partir das 8h30, na área de eventos da Federação das Indústria do Estado do Amazonas, no Distrito Industrial.
Atualmente 213 empresas de transportes realizam a locomoção dos trabalhadores das indústrias do Pólo Industrial de Manaus, empregando cerca de 4.800 funcionários, que fazem o transporte de praticamente todas as fábricas do DI.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email