Inovação é saída para crise, sugere consultor do IEL e Sebrae

“Investir nas pessoas e na inovação é essencial para sair da crise que o País passa”. A declaração é do consultor e administrador de empresas, André Valente para cerca de 80 participantes, entre empresários, gestores e dirigentes de sindicatos que participaram ontem (9) do lançamento do Programa de Capacitação Empresarial para Pequenos Negócios, no Salão de Eventos da FIEAM (Avenida Joaquim Nabuco, 1919), promovido pelo Instituto Euvaldo Lodi (IEL) e Serviço Brasileiro de Apoio as Micros e Pequenas Empresas (Sebrae).
De acordo com Valente, mesmo com cenário incerto, as empresas precisam melhorar seus processos e não perder a motivação, se reinventando para enfrentar a crise. Segundo o palestrante, mesmo com as dificuldades, é possível enxergar alguns caminhos em busca do conhecimento, citando o treinamento e a qualificação, além do entusiasmo pelos negócios e motivação da equipe.
Valente disse que, no momento que a crise acabar, o empresário terá que estar preparado para tocar seus negócios, ressaltando que o pensamento deve estar focado nas mudanças para vencer a crise. Ele disse ainda que o caminho a seguir depende muito dos negócios de cada empresa e que, em alguns casos, os produtos precisam conquistar novos melhorando a qualidade dos produtos e a logística.
Na palestra cujo tema é ‘Desafiando os Gigantes: Como Superar Expectativas’ disse que é preciso enfrentar os gigantes, tanto os comuns, que são a política, economia, jutos altos, quantos os gigantes pessoais, como processos desajustados, gestão financeira e cultura dos colaboradores. Disse também que as pessoas devem ser trabalhadas com o pensamento empreendedor e o foco na inovação para não prejudicar o processo.
A superintendente do IEL, Kátia Meireles, disse que a parceria com o Sebrae tem convergência de atuação, ressaltando que o Instituto Euvaldo Lodi atua na área de educação empresarial beneficiando o jovem de 16 anos, o executivo e dirigentes empresariais.
De acordo com Meireles, as propostas apresentadas nacionalmente têm enfoque voltado para o mercado, pessoas e processos e visam atuar na transversalidade da gestão do empreendimento e que os temas escolhidos são atuais e ligados ao momento atual para oferecer alternativas para o empresário sair de forma inteligente da crise, além de oferecer estratégia a condução de seus negócios.
Presente no evento, o microempresário da área de Engenharia de Refrigeração, Raynor Aguiar, disse que se considera um pescador de novidades para sobreviver, e que as pequenas e microempresas são as mais afetadas pela crise, citando que a sua empresa em 2014 trabalhou em oito obras, enquanto que neste ano não tem nenhuma.
De acordo com Raynor falta mais apoio do Governo e que os bancos não estão abrindo linhas de crédito para que a empresa possa ter capital de giro. Ele disse que a solução encontrada foi enxugar custos, reduzindo a mão de obra e treinamentos para se adequar a realidade.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email