13 de abril de 2021

Indústria pede incentivo para pão com fécula de mandioca

Criado para incentivar a indústria da panificação e ser uma alternativa ao pão francês, o chamado pão brasileiro necessita de incentivos fiscais para ser absorvido pelo mercado

Criado para incentivar a indústria da panificação e ser uma alternativa ao pão francês, o chamado pão brasileiro necessita de incentivos fiscais para ser absorvido pelo mercado. A avaliação é do presidente da Abip (Associação Brasileira da Indústria da Panificação), Alexandre Pereira.
A receita do novo pão substitui 10% da farinha de trigo por fécula de mandioca e foi elaborada, em parceria, pela Abip e o Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio as Micro e Pequenas Empresas). Segundo Pereira, o produto necessita ser pelo menos 10% mais barato do que o pão convencional para ser aceito pelo consumidor
Caso o governo federal conceda a desoneração esperada para o produto base, a farinha misturada, o pão brasileiro poderá substituir até 20% do consumo atualmente destinado ao pão francês, de acordo com o presidente da Abip. “Estamos aguardando uma posição do presidente Lula [em relação desoneração] para fazer o lançamento”, ressaltou Pereira.
A obrigação de adicionar fécula de mandioca na produção do pão francês foi aprovada na Câmara dos Deputados e no Senado. No entanto, o projeto acabou vetado pelo presidente da República no final do ano passado.
Segundo o presidente da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva de Mandioca, João Eduardo Pasquini, a proposta aprovada pelo Congresso enfrentou muitas resistências da indústria da panificação e dos moinhos por ser impositiva. “O setor [da panificação] não estava aceitando essa adição por imposição”, destacou o dirigente.
Ele aponta que se o projeto atual da Abip vingar, vai abrir o mercado para a indústria da mandioca e proporcionar a geração de empregos. Atualmente, cerca de 50% da capacidade do setor está ociosa, de acordo com Pasquini.
Em relação ao sabor e textura, o pão brasileiro deverá ser muito semelhante ao francês. O formato será mais arredondado, em contraste com a bisnaga do produto tradicional.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email