13 de abril de 2021

Cheques devolvidos têm maior alta dos últimos 18 anos, aponta Serasa

O número de cheques devolvidos a cada mil compensados bateu recorde no Brasil, no último mês de março

O número de cheques devolvidos a cada mil compensados bateu recorde no Brasil, no último mês de março. Segundo o Indicador Serasa Experian de Cheques Sem Fundos, no terceiro mês de 2009, foram devolvidos 24,6 cheques a cada mil compensados.
É o maior índice registrado pelo levantamento, iniciado em 1991, situando-se ligeiramente acima do verificado em março de 2006, com 24,3 cheques devolvidos a cada mil compensados. Ao todo, foram devolvidos 2,75 milhões de cheques em março deste ano e compensados 112,12 milhões.
Na relação de março de 2009 sobre fevereiro último, o volume de cheques devolvidos cresceu 6% no país. Em fevereiro deste ano, foram devolvidos 23,2 cheques para cada mil compensados (2,19 milhões de cheques devolvidos e 94,39 milhões compensados).
Já na relação entre março de 2009 frente a março de 2008, o aumento no número de cheques devolvidos a cada mil compensados foi de 18,3%. No terceiro mês do ano passado, houve 20,8 devoluções de cheques a cada mil compensados. Foram devolvidos, ao todo, 2,44 milhões de cheques em março de 2008, e compensados 117,27 milhões.
No acumulado do 1º trimestre de 2009, por sua vez, o aumento no número de cheques devolvidos a cada mil compensados foi de 19,2%, quando comparado com o mesmo perío­do do ano anterior. Em 2009, nos três primeiros meses, houve 23,6 devoluções de cheques a cada mil compensações, ao passo que no primeiro trimestre de 2008, foram devolvidos 19,8 cheques a cada mil compensados.
No total, foram devolvidos 7,36 milhões de cheques de janeiro a março de 2009, e compensados 311,49 milhões. Já em 2008, em igual período, foram 7,11 milhões de devoluções de cheques, e 359,61 milhões de cheques compensados.

Taxa de juros

Os empréstimos para pessoas físicas registraram taxa média mensal de 9,05% no cheque especial, enquanto o juro médio das operações para empréstimo pessoal ficou em 5,75% ao mês. No cartão de crédito (nacional) com juros rotativos, a taxa oscilou de 4,10% a 11,9% ao mês, enquanto a dos juros parcelados ficou entre 3,99% e 10,10% ao mês, revelou a sondagem realizada pelo InvestNews.
A linha de crédito oferecida para empresas, nas modalidades como vendor e compror, apresentou taxa anual de 39,62% a 65,54% ao ano. Já no capital de giro, a taxa anual ficou entre 39,14% e 64,82%. A linha de hot money varia de 3,60% a 5,05%. No desconto de duplicata e de cheque as taxas ficaram entre 2,33% e 3,76% ao mês e, nas operações com conta garantida, o custo variou de 3,51% a 5,36% ao mês.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email