Indústria mantém nível de capacidade

A utilização da capacidade instalada da indústria ficou estável em junho em comparação a maio. A queda foi 0,1%. O índice ficou 80,8%, segundo dados dessazonalidados (ajustados para o período). O cálculo da CNI (Confederação Nacional da Indústria) foi divulgado ontem. É o menor patamar do indicador desde setembro de 2009. O faturamento real avançou 2,9% e as horas trabalhadas 1,8%. O emprego cresceu 0,3%.
Na comparação com o mesmo mês de 2011, os indicadores industriais apresentam queda capacidade instalada, de 82,4% para 80,8%. Melhorou o faturamento real, que passou de 2,4% para 2,9%.
Nas horas trabalhadas houve queda de 1,8% em junho do ano passado. Agora em 2012 foi registrada elevação de 1,8%. O emprego, que também recuou no mesmo mês do ano passado (0,2%), teve elevação de 0,3% em junho de 2012. Para a CNI, o crescimento da atividade industrial em junho é modesto e não reverte a perda do segundo trimestre do ano, quando comparado aos primeiros três meses de 2012.
No primeiro trimestre, segundo os dados da CNI, as horas trabalhadas na produção caíram 1,4% e a utilização da capacidade instalada recuou 1,2%. No Rio, o IBGE divulgou pesquisa que aponta crescimento da produção industrial em sete dos 14 estados pesquisados.

Faturamento

O faturamento industrial teve crescimento de 2,9% no mês retrasado na comparação com maio. No caso das horas trabalhadas, indicador que é considerado um bom representante do que ocorre com a produção industrial, houve alta de 1,8%, na mesma comparação. No caso da massa salarial real e do rendimento médio real, houve recuo em junho na comparação com maio, de 1% e 1,4%, respectivamente.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email