Indústria de motocicletas do PIM tem lucro de US$ 6 bi lhões

Líderes no ranking dos itens mais produzidos no PIM (Pólo Industrial de Manaus) em 2007, as motocicletas devem registrar novo crescimento em 2008 e chegar marca de 1,94 milhão de unidades produzidas, o equivalente a um aumento de 11,9%. Quanto as vendas espera-se para o novo ano uma elevação de 13,7%.

De acordo com os indicadores de desempenho divulgados pela Suframa (Superintendência da Zona Franca de Manaus), em 2007 a produção de motocicletas atingiu a marca de 1,75 milhão de unidades. O número registrado representa lucro de pelo menos US$ 6 bilhões e crescimento de quase 23% em comparação ao anterior, já que em 2006 saíram das linhas de montagem 68.467 motocicletas contra 85.226 unidades fabricadas em 2007.

O superintendente adjunto de Projetos da Suframa, Oldemar Ianck, destaca o bom momento do setor. Ele prevê a continuidade desse crescimento com base na ampliação do número de empregos no segmento, na aprovação de novos projetos para ampliação e diversificação das indústrias e na fabricação de componentes. No total, entre projetos aprovados e implantados no PIM no setor de duas rodas, existem 20 fabricantes, sendo quatro de bicicletas e 16 de motos – que concentram 99% de toda produção do país.

“O total de empregos diretos no segmento de duas rodas saltou de 12,8 mil, em 2006, para 15 mil, em 2007. Esse segmento está com um dinamismo bastante grande e a nossa expectativa é de que esse crescimento se mantenha.

Este ano, sete novas empresas vão iniciar a produção de componentes para essas indústrias e oito das já existentes vão ampliar e diversificar a produção. Serão mais 2,4 mil novos postos de trabalho e US$ 60 milhões de investimentos”, informa.

Vendas do produto para o mercado externo encolhem 16,8% em 2007 ante 2006

A expectativa de nova evolução comercial é compartilhada pela Abraciclo (Associação Brasileira de Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares).Apesar da queda de 16,8% nas exportações de 2007 em relação a 2006, o setor conseguiu se recuperar e colocou em segundo lugar as vendas de motoclicletas de 125 e 250 cilindradas produzidas no Amazonas para o mercado externo, perdendo apenas para os aparelhos de celulares.

“Estamos prevendo para 2008 exportar 120 mil unidades, ou seja, cerca de 14% a menos em relação a 2007. Ainda assim, não podemos ignorar o crescimento contínuo do setor há 12 anos. Ano a ano estão sendo mantidos os recordes de vendas e produção. A baixa nas exportações não vai influenciar no crescimento no mercado interno”, diz o diretor-executivo da Abraciclo, Moacyr Paes.

Estabilidade econômica

Para justificar a alta nas vendas de motocicletas no mercado interno, Moacy Paes ressaltou a estabilidade da economia, a redução dos juros para financiamento do produto, maior prazo para pagamento e também a mobilidade e agilidade que os condutores podem ter com as motos se comparadas com os carros.

“As motocicletas vêm encontrando seu lugar no mercado como veículo de transporte que agrega características como menores preços e agilidade. As motos também são uma alternativa para quem quer fugir do trânsito congestionado nas grandes cidades e chegar mais cedo no trabalho ou em casa”, analisou o diretor da entidade.

Além das motocicletas, os resultados da produção de bicicletas no ano de 2007 também foram considerados positivos.

Segundo a Abraciclo, o Brasil é o terceiro maior produtor mundial de bicicletas e deve chegar ao fim de 2008 com 5,4 milhões de unidades, cerca de 200 mil a mais que no ano passado.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email