Abono salarial de R$ 3,6 milhões aguarda 97 mil trabalhadores da região Norte

Cerca de R$ 3,6 milhões  guardados nos cofres do Banco do Brasil e da Caixa Econômica Federal estão à espera  de 97 mil trabalhadores da região Norte que ainda não sacaram o abono do PIS/Pasep (Programa de Integração Social/ Programa de Formação do Patrimônio do Servidor), de um salário mínimo, referente ao ano-base 2006. De 1º de julho, quando o calendário começou a vigorar, até 31 de dezembro do ano passado, 585.074 trabalhadores do Norte já foram apanhar o benefício, o que representou a distribuição de um total de R$ 217,8 milhões.

No início de dezembro, o ministro do Trabalho e Emprego, Carlos Lupi, anunciou o envio de cartas para estes trabalhadores, alertando sobre o direito ao benefício. O calendário só termina em 30 de junho de 2008.

 “O abono salarial é uma espécie de 14º salário para o empregado e o governo está fazendo a sua parte para que ele não fique sem sacá-lo. Quase 1,3 milhão de trabalhadores em todo Brasil ainda não sacaram o benefício. Isso ajuda em muito o trabalhador”, afirmou o ministro Lupi.

Conforme levantamento da Coordenação-Geral do Seguro-Desemprego, Abono Salarial e Identificação Profissional, do Ministério do Trabalho e Emprego, 42.187  trabalhadores do Pa­rá ainda não compareceram às agências bancárias para o resgate, cada um, de R$ 380. Em seguida, aparecem, os do Amazonas (19.412), Rondônia (13.109) e Tocan­tins (9.576).

Para efetuar o saque, os trabalhadores/servidores terão que apresentar o número dos PIS ou do Pasep e a carteira de identidade em qualquer agência da Caixa Econômica Federal (trabalhadores celetistas) e do Banco do Brasil (servidores).

O abono salarial é o pagamento de um salário mínimo anual ao trabalhador ou servidor que recebeu, em média, até dois salários mínimos mensais no ano-base, cadastrados no PIS/Pasep desde 2002 e que tenham trabalhado, pelo menos, 30 dias em 2006.

Os beneficiários do abono são identificados pela Rais, declarada anualmente pelas empresas. Por isso, é importante que o trabalhador/servidor sem­pre atualize o endere­ço juntamente a empresa/governo que trabalha para que esta o informe ao MTE (Ministério do Trabalho e Emprego) no momento da declaração da Rais (Relação Anual de Informações Sociais).

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email