Inadimplência mais alta em novembro

Os novos registros de inadimplência do consumidor aumentaram 2,3% no mês de novembro ante outubro, descontados os efeitos sazonais, de acordo com dados nacionais da Boa Vista Serviços, administradora do SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito). O levantamento também mostrou que houve retração de 0,1% no acumulado de janeiro a novembro, em relação ao mesmo intervalo do ano passado. Já na comparação dos últimos 12 meses com igual período anterior, o indicador apresentou avanço de 0,1%.
A análise da Boa Vista aponta que, ao longo do primeiro semestre do ano, os registros de inadimplentes mantiveram a tendência de queda iniciada no final de 2012. Entretanto, os resultados ao longo do segundo semestre indicam para uma desaceleração dessa tendência. “Isso pode ser justificado pelo arrefecimento dos impactos das melhores condições de crédito na economia brasileira e do mercado de trabalho”, disse a administradora, em nota. “Desta forma, a Boa Vista espera que 2013 termine apresentando resultados semelhantes aos de 2012 quanto ao comportamento da inadimplência.”
O valor médio das dívidas em novembro, de R$ 1.239, foi 4,47% menor do que o observado em outubro. A Boa Vista revelou ainda que a expansão da inadimplência em novembro ante outubro foi puxada pelo resultado nas regiões Sul (+3,6%) e Sudeste (+3,4%). Na direção oposta destacaram-se as quedas nas regiões Norte (-2,0%) e Nordeste (-1,0%), na mesma base de comparação.
Quando considerado apenas o setor de varejo, o indicador nacional, em novembro, apresentou recuo de 1,4% contra outubro, retirados os efeitos sazonais. No acumulado em 12 meses o resultado expandiu 0,2% em relação aos 12 meses anteriores, com destaque para as regiões Sudeste (0,9%), Sul (0,6%) e Norte (0,6%).

Dívidas bancárias

No que diz respeito às dívidas com instituições financeiras – o que é acompanhado pela Serasa Experian -cerca de 20,6 milhões de brasileiros atrasaram o pagamento de contas entre janeiro e outubro deste ano. Apesar de alto, esse número é 4% inferior ao registrado em igual período de 2012 e o menor desde 2010. Os economistas da empresa de consultoria Serasa Experian advertem para o risco de um consumo exagerado que venha comprometer o orçamento doméstico. “Cuidado com as compras de Natal para não entrar em 2014 superendividado”, alertam eles.
Os economistas recomendam que antes de sair para o comércio, é bom o consumidor fazer uma lista de presentes com os valores máximos que podem caber no orçamento. “A lista ajuda a não se empolgar e perder o controle”, diz a nota da Serasa.
Na avaliação desses profissionais, o recuo do número de consumidores inadimplentes decorre de uma situação em que bancos estão mais rigorosos na concessão de crédito. Mas há outros fatores: os consumidores estão priorizando pagamento das dívidas, apelando inclusive para a renegociação.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email