Henrique Alves pede aplausos para Dilma

O clima de rusgas do governo federal com o PMDB, principal partido da base aliada, ganhou um momento de afago no início da tarde de ontem, quando o presidente da Câmara e um dos líderes da sigla, Henrique Eduardo Alves (RN), pediu um minuto de aplausos a presidente da República, Dilma Rousseff.
O gesto aconteceu durante visita de Dilma a Natal (RN), berço político de Alves, para entrega de máquinas retroescavadeiras e motoniveladoras a prefeituras do Estado.
“Eu quero aqui fazer um pedido, porque eu sou arrochado, vocês me conhecem. Então vou pedir um minuto de aplausos inesquecíveis a presidente Dilma”, disse o parlamentar, que está no 11º mandato consecutivo na Câmara. Os aplausos duraram 55 segundos.
Alves, que também rasgou elogios ao ex-presidente Lula, disse que o Estado é o que está mais recebendo investimentos, proporcionalmente, por parte do governo. “Esses benefícios são vitórias e conquistas do Rio Grande do Norte graças à sensibilidade e à justiça da presidente Dilma Rousseff”, disse.
Os ânimos entre PMDB e Planalto estão exaltados desde a votação da MP dos Portos, no último dia 16. A bancada do PMDB chegou a apoiar um pedido de CPI da Petrobras.
No evento de Natal, o clima de afagos envolveu até a governadora Rosalba Ciarlini, que é do DEM, partido de oposição ao Planalto.
Além de repetir que Dilma não olha para as siglas durante a sua gestão, Rosalba iniciou assim a sua fala: “Não tenho nem mais o que dizer após essa homenagem mais do que justa [de Alves a Dilma]”.
Em outro momento, a governadora afirmou: “A senhora já é potiguar”.
Em seu discurso, a governadora chamou Dilma de “sensível, determinada e corajosa” e “presidente de todos os brasileiros”.
“Sou governadora do Rio Grande do Norte e tenho a clara noção de que meu cargo e meu trabalho estão acima de qualquer questão e isso me dá o direito de agradecer e aplaudir”, disse Rosalba.
A governadora disse mais de uma vez considerar a presidente potiguar. “Tenho certeza que, num cantinho desse coração, bate bem forte um elefante chamado Rio Grande do Norte”, afirmou.
Após ouvir do presidente da Câmara dos Deputados que Rosalba é do DEM, “mas é do bem”, a governadora também o elogiou e citou a “bancada federal valente” de seu Estado.
No fim do discurso, Rosalba fez a única cobrança de sua fala: que a ferrovia Transnordestina também contemple seu Estado.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email