Haja lata! A revolução do vinho em lata está em andamento

“ O vinho para uns é uma boa forma de terminar o dia, para outros, é a forma de salvar o dia”

A primeira vez que degustei um vinho em lata foi durante um evento promovido pelas belas e competentes agitadoras vínicas Nicolle Loureiro e Marcia Takeda do Clube Divino. Na ocasião festiva de fim de tarde colhi informalmente nos convescotes com alguns queridos convivas, algumas opiniões que, diante do novo, como é natural, foram na grande maioria positivas, e bem lacônicas, do tipo: Delicia! Gostoso! Aromático! Diferente! Ninguém definiu o precioso líquido em lata como excelente. Normal. 

Para ser franco, passado algum tempo não sabia e fiquei curioso para estabelecer o que tem acontecido no trade manauara de vinhos referente ao desenvolvimento do consumo do vinho em lata depois daquele concorrido e agradável evento de lançamento que agitou os instantes iluminados pelo pôr do sol. Resolvido, caí em campo para verificar em alguns renomados pontos de venda dos Sucos da Bíblia na cidade se nas prateleiras encontraria exemplares do produto. Deu deserto total. Não encontrei vinho em lata a venda. Será que em algum lugar está disponível?  A leitura que faço, por enquanto, é de que o consumo do vinho em latinha ainda não pegou em Manaus, e por isso, (será?), não justificou ainda, as iniciativas de investimentos dos empresários do ramo.

Por outro lado, alguma coisa me diz que esse quadro de apatia comercial em relação ao vinho em lata aqui em Manaus tende a mudar rapidamente e para melhor. Estou me baseando nas informações que estou colhendo sobre acontecimentos em toda Europa que incluem a evolução da produção e vendas dos vinhos em lata. Recebi notícias fidedignas que, principalmente em Portugal, que celebrou no pretérito dia 10 deste mês a data máxima da Pátria Lusitana, a febre pela novidade em lata está aumentando. Fiquei pensando o seguinte. Será mesmo em Portugal, país tradicional e muito conservador em relação a produção e consumo de vinhos, que a aceitação dos vinhos em lata vai ser fácil? Não será isso apenas um “trend” passageiro ou oportunidade passageira? Uma coisa é certa, tem coisa boa no meio e a história dos vinhos em lata apenas começou a ser escrita.  Morderam?

Segundo informes recentes da grande mídia portuguesa, o vinho em lata chegou com força total seguindo uma onda que teve início na Austrália espalhando- se depois pelos Estados Unidos e por outros países da América do Sul. Em Portugal está sendo avassaladora a atitude de produtores e marcas que anunciam adesão a esse formato, incluindo até uma nova forma de consumir. 

Avassaladora também são as previsões que apontam para vendas anuais de 400 milhões de latas de vinho a escala mundial que justifica naturalmente o estímulo dos produtores também engrossado pelos dados Nielsen para o mercado norte-americano que indicam que o mercado do vinho em lata deverá ultrapassar 127 milhões de euros em 2027. A Wine Intelligence por sua vez, antecipou números que ascendem a 164 milhões de euros a curto prazo. Morderam mais?

No momento, todos querem saber o que esperar de um vinho em lata. Está no ar algo incontestável, o vinho em lata é um fenômeno internacional com ampla difusão em países como os Estados Unidos e o Brasil. A mobilização de importadores questionando produtores portugueses acerca da possibilidade de terem no portfólio, ofertas de vinho em lata, é intensa, o que nem de perto nem de longe deve ser encarado como algo menor ou a menosprezar. 

O vinho em lata está se fixando no mercado como uma forma de propor alguns vinhos para momentos descontraídos de consumo, com natural enfoque numa faixa etária de jovens experimentalistas, sedentos por novas experiências, e para quem o vinho é por vezes uma espécie de bicho-papão que teima afasta-los de um primeiro gole. 

Em vista do exposto, acho eu que o consumidor manauara deve se preparar para receber em breve um leque de ofertas mais alargado a medida que estão enlatando dezenas de outros vinhos, e certamente os importadores locais levarão em consideração a boa possibilidade para criação de um novo nicho para negócios lucrativos, tendo à disposição uma clientela potencial, ávida pelas novidades dessa nova tendência que cedo ou tarde vai “mostrar a cara” por aqui, querendo ficar. Detalhe importante. Por enquanto só os vinhos tintos estão sendo enlatados.

Com o espirito totalmente desempoeirado, declaro aos enófilos curiosos que achei o vinho em lata fácil de beber, muito aromático, e leve. É um vinho exuberante e atraente desde o primeiro gole.

Minha dica – Ao provar o vinho em lata não pense que está degustando um vinho excepcional. Mas, igualmente, não tenha preconceitos a ponto de evitar a prova. O vinho em lata se revelou, para mim, como uma nova opção de prazer.

Lembrete – Consumir a temperaturas entre 5 e 8 graus, tal como uma cerveja ou um refrigerante. Lembre-se que a lata depois de aberta não vai preservar o vinho. Então, diretamente da lata ou na taça, brinde o calor de fim de tarde em Manaus, as boas conversas e aos amigos que estão ao teu lado.

Foto/Destaque: Divulgação

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email