Expectativa de um milhão de bikes

E não é que as “magrelas” tem caído no gosto do consumidor? Para se ter uma ideia, somente em 2012, foram produzidas exatamente 913.145 unidades de bicicletas no PIM (Polo Industrial de Manaus), cerca de 10,4% a mais comparado ao ano de 2011, segundo dados do último indicador da Suframa (Superintendência da Zona Franca de Manaus). “E a previsão é que esse ano sejam produzidas 4.500 milhões bicicletas no país, sendo 1 milhão em Manaus”, destaca José Eduardo Gonçalves, diretor executivo da Abraciclo (Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares).
Ele acredita que diversos fatores podem influenciar esses números, inclusive a regulamentação da bicicleta elétrica, que deve acontecer ainda este semestre pelo Contran (Conselho Nacional de Trânsito), com isso ela passará a seguir a norma europeia, onde a potência terá no máximo 250W, velocidade de até 25 quilômetros por hora, o motor só funcionará com o pedal e ela não terá acelerador. “Assim ela ficará com mais cara de bicicleta realmente, do que de motocicleta, acreditamos que isso ajudará a aquecer o mercado, já que seus condutores não precisarão de habilitação específica”, revela Gonçalves.
Além disso, o incentivo do uso é outro fator que é determinante, com a criação de ciclovias e bicicletários. “Nós passamos a notar que o uso dela é diretamente ligado a situação do trânsito nas cidades. E o fato de ser um meio de transporte não poluente e barato, tanto na compra quanto na manutenção, tem contribuído para isso”, ressalta o porta-voz da Abraciclo, que acrescenta que a busca pelo estilo de vida mais saudável tem ajudado também.

Gosto movimenta mercado

E pegando carona nessa febre, as novidades não param, muito se engana quem pensa que as bicicletas ainda são como as de antigamente, hoje elas estão mais leves, rápidas e confortáveis. As fabricantes instaladas no PIM tem buscado investir para atender a esta nova demanda, desenvolvendo produtos tecnologicamente mais avançados e equipados com marchas, além de design moderno e cores atrativas.
“O preço de uma bicicleta varia de R$ 250 a R$ 3 mil, mas há modelos que chegam a custar até R$ 20 mil, as de grife”, comenta José Eduardo Gonçalves. Outra aposta de negócio são bicicletas dobráveis, leves, fáceis de serem transportadas ou as que exigem menos esforço do ciclista. O custo médio desse modelo é R$ 1,300.

Empresário lucra com a moda

De acordo com o Erildo Pinheiro, proprietário da loja especializada em materiais ciclísticos, Ofice Bike, com a população cada vez mais aderindo à moda de andar de bicicleta o estabelecimento comemorou, no ano passado, o incremento de 300% no faturamento. “O ano de 2012 foi o ápice no mercado, e apesar de 2013 ter começado tímido, por conta das chuvas, acredito que a partir do meio do ano teremos boas vendas novamente”, disse.
Ele comenta que a maior parte das vendas tem sido daquele consumidor que deseja andar pela primeira vez. “As preferidas tem sido aqueles modelos com maior mobilidade, por terem maior custo benefício”, revela o empresário. Aquelas que possuem artes na pintura e acessórios diferenciados, que acabam personalizando e dando uma cara diferente para a bike são as mais pedidas pelo amazonense.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Siga-nos

Notícias Recentes

JC Play

Podcast

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email