Estrangeirismos e neologismos da quarentena

Os estrangeirismos são empréstimos linguísticos de um idioma para outro. Notem que a língua portuguesa, principalmente a falada/escrita no Brasil, tem bastante influência de vocábulos de língua inglesa em seu vernáculo. Ex: online; marketing etc. Em compensação os neologismos são empregos de palavras novas, derivadas ou formadas de outras já existentes, na mesma língua ou não. Ex: “internetês” (linguagem da internet). Utilizou-se a estrutura da palavra “português”, por exemplo, adaptou-se à situação e criou-se algo novo. A internet veio para manter o mundo girando e o que era presencial, em alguns aspectos, passou a ser virtual. Lembram que os idiomas estão imersos na sociedade? Então, novas palavras surgem em virtude do contexto e outras reaparecem.

WEBINAR X WEBINÁRIO

Webinar é um estrangeirismo, que também é um neologismo, da língua inglesa. Webinar advém de seminar que, nada mais é, do que seminário em inglês. Seguido de webinar, temos a prata da casa, o neologismo, em língua portuguesa, webinário. Ele advém da palavra “seminário”. Ambos significam “seminário na web ou no ambiente virtual” e podem ser usados com o mesmo valor semântico. Mas, convenhamos, se vocês optarem pelo vocábulo em inglês, isto é, por webinar, escrevam e pronunciem de maneira correta. Gente, webinar é com “i”, e não com “b” mudo. Mas como assim? Depois do “b” da palavra em inglês web tem uma vogal “i”. Comecem a notar como esse erro tem sido frequente na internet. Agora, se vocês acharem mais descomplicado usar o vocábulo em português, isto é, webinário, por favor, não esqueçam de que ele, também, é escrito com “i”. Há quem pergunte de onde e com que objetivo surgiram os vocábulos webinar e webinário. Eles são fruto das necessidades ocorridas na quarentena.

STANDY BY X SOBREAVISO

Com o trabalho remoto em vez de presencial os funcionários passaram a ouvir bastante o  vocábulo em inglês standy by, não que antes da quarentena ele fosse desconhecido para nós, brasileiros, mas não era tão utilizado como agora. Geralmente, no trabalho em casa, não se tem um horário fixo, pelo menos em algumas empresas privadas ou repartições públicas, sendo assim ficar em standy by tem se tornado algo corriqueiro e muito escutado. Mas se, por ventura, preferir optar-se pelo equivalente em língua portuguesa, “sobreaviso”, não há problema nenhum, pelo contrário, valorizará a prata da casa, o nosso idioma.

FEEDBACK

Lembro bem dessa palavra nas aulas de biologia, ainda no ensino médio. Se vocês observarem no dicionário, ao analisar semanticamente um vocábulo, muitas vezes ele tem diversos significados, sendo que o primeiro deles foi o que primeiramente se usou. No correr do tempo, uma palavra, tal como feedback, pode ir ganhando novos sentidos, sendo utilizada em outros contextos, mas isso não ocorre do dia para a noite, é todo um processo que, geralmente, leva tempo. Para constar em um dicionário ainda leva mais tempo, pois o novo significado precisa de chancela, de aprovação. “Feedback. s. m. 01. reação a um estímulo; efeito retroativa. 02. Comunicação. informação que o emissor obtém da reação do receptor à sua mensagem, e que serve para avaliar os resultados da transmissão. Mas o que tudo isso tem a ver com biologia? Tem tudo a ver, mas essa já é uma outra história. Fica a dica.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email