Endividamento no nível de 2011

O percentual de famílias endividadas no país chegou a 62,9% em abril, com alta em relação a março, quando o percentual foi 61,2%, e também a abril de 2012, quando o endividamento alcançou 56,8%. Esse é o maior patamar desde julho de 2011, de acordo com o estudo.
Os dados fazem parte da Peic (Pesquisa Nacional de Endividamento e Inadimplência do Consumidor) divulgada ontem pela CNC (Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo).
As dívidas relatadas incluem as de cheque pré-datado, cartão de crédito, cheque especial, carnê de loja, empréstimo pessoal, prestação de carro e seguro. Os dados são coletados em todas as capitais dos Estados e no Distrito Federal, com cerca de 18 mil consumidores.
O percentual de famílias inadimplentes também aumentou entre março e abril. Cerca de 21,5% das famílias entrevistadas disseram ter dívidas e contas em atraso e 6,7% disseram não ter condições de pagar contas em atraso. Em março, essas famílias representavam, respectivamente, 19,5% e 6,3% do total de entrevistados.
Já na comparação com abril de 2012, os dois indicadores de inadimplência recuaram, pois no mesmo período do ano passado, 23% das famílias diziam ter dívidas e contas atrasadas e 6,9% não tinham condições de pagar as contas em atraso.
A proporção das famílias com percepção de alto endividamento, que chegou a 12,1% em abril, diminuiu na comparação anual (14,1%) e aumentou na comparação com março (11,8%). Para a CNC, a percepção das famílias em relação ao seu endividamento é, em geral, positiva, e a proporção de famílias que se declararam muito endividadas permaneceu em patamares baixos.
Ainda segundo a pesquisa, houve crescimento no endividamento das famílias que ganham até dez salários mínimos: o percentual chegou a 63,8% em abril deste ano, ante 61,9% em março e 57,9% em abril de 2012.
Houve crescimento também na faixa de famílias com renda acima de dez salários mínimos: o percentual de famílias endividadas passou de 57,1%, em março, para 58,5% em abril de 2013. Em abril de 2012, o percentual de famílias com dívidas nesse grupo de renda foi 48,7%.
O cartão de crédito foi apontado como um dos principais tipos de dívida por 76,6% das famílias endividadas, seguido por carnês (20,5%) e financiamento de carro (12,1%).
No caso das famílias com renda de até dez salários mínimos, as modalidades de endividamento mais citadas foram cartão de crédito (77,1%), carnês (22,4%) e crédito pessoal (por 11,7%). Já para famílias com renda acima de dez salários mínimos, os principais tipos de dívida em abril de 2013 foram cartão de crédito (75,1%), financiamento de carro (para 27,2%) e financiamento de casa (14,5%).

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email