Vendas de abril freiam expectativa

Os dados da primeira quinzena de abril, que revelaram uma queda de 6% no número de motocicletas comercializadas por dia útil, frearam a expectativa do mercado que mostrava um sinal de reação após o tímido crescimento de março. No total foram comercializas 6.431 motocicletas por dia no país, contra 6.874 no mesmo período de abril do ano passado. Os dados são da Abraciclo (Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares). No acumulado do ano, a queda já é de 16,99%. Foram 299.649 motos emplacadas em 2013 contra 360.962 no mesmo período de 2012, segundo dados da Fenabrave (Federação Nacional de Distribuição de Veículos Automotores). Vale lembrar que 2012 já foi considerado um ano ruim.
Na comparação do início de abril com o início de março os números também são negativos, no entanto a diferença é bem menos expressiva. Foram 70.739 motocicletas emplacadas na primeira quinzena de abril, volume 0,7% abaixo do mesmo período de março com 71.213 unidades. Os números foram divulgados pela Abraciclo com base nos licenciamentos registrados pelo Renavam. Vale ressaltar que os números demonstram um resultado positivo no saldo do total do mês até aqui. Em 2012 apenas 61.440 unidades foram comercializadas. No entanto, ano passado foram apenas nove dias úteis de vendas contra 11 em 2013. Para se ter uma ideia, em igual período de 2011, o número foi de 84.585 motos emplacadas.
A expectativa de crescimento no mercado para o ano é de apenas 2,4%, mas com os baixos resultados obtidos nos dois primeiros meses já estavam sendo trabalhadas outras estimativas. Porém em março houve uma melhora substancial com o aumento de 7,1% no volume de vendas e 6,4% na produção. Foram 6.192 motocicletas vendidas, superando os 5.661 contabilizados em fevereiro. Baseado nesse crescimento a Abraciclo decidiu manter a expectativa de crescimento.
Apesar da nova queda, o diretor executivo da Abraciclo acredita que os dados permitem a manutenção da estimativa. “Os dados da primeira quinzena mostram estabilidade no mercado, permitindo a manutenção da perspectiva de recuperação, mesmo que ainda tímida. Diante disso, acreditamos em um fechamento positivo para o mês de abril”, concluiu.

Expectativa no varejo local é de crescimento

Apesar da baixa no número de vendas de motocicletas nacionais, a situação no varejo do Amazonas é um pouco diferente. Enquanto a indústria lamenta a queda na produção e vendas nacionais, as concessionárias no Amazonas comemoram o aumento nas vendas locais. Em março 2.091 motos foram comercializadas, contra 1.788 em fevereiro e 1511 em janeiro. A justificativa é o grande investimento que as marcas mais tradicionais fazem em manter carteira de consórcios. Para o presidente Executivo da Fenabrave, Alarico Assumpção Junior, isto é uma questão cultural dos Estados do Norte e não se aplicaria as demais regiões do país.
A expectativa é continuar crescendo. Para o gerente comercial da Centauros Motos, revendedora Honda em Manaus, Thiago Biazatti, o mercado deve manter um crescimento de 5% ao mês. “Nos últimos meses viemos crescendo, não é a mesma coisa de 2011, mas estamos acima de 2012. Em abril deve haver uma pequena diminuição em virtude das chuvas, mas nada preocupante” afirma.
Para o gerente geral da Braga Motos, revendedora autorizada da Yamaha em Manaus, Hector Duran, o crescimento de vendas no ano deverá chegar aos 12% em Manaus. Hector conta que a loja tem sentido esse crescimento nos últimos meses, embora ainda seja tímido. Em março a concessionária vendeu 170 motos, contra 132 no igual período do ano passado. Em fevereiro desse ano foram apenas 109 motos. “Para abril a tendência é manter acima dos 150, mas nada indica que iremos conseguir bater as 170 vendas de março”, conta. Hector explica também que esse aumento na venda se deve muito ao lançamento da Factor 125XBR que ocorreu no mês passado. “Houve um investimento pesado em mídia e rendeu frutos, está faltando o modelo no estoque, isso também contribui para baixa venda de abril.
A região Norte equivale a 13,06% de participação do mercado nacional, com crescimento de 1,02% na primeira quinzena de abril, o maior do país. O mercado Amazonense equivale a 1,7% do nacional. O nordeste concentra a maior parte do mercado com 37,72%, seguido pelo Sudeste com 29,9%

Perfil do Consumidor

Segundo a Abraciclo 53% dos proprietários de motos apresentam idade superior a 35 anos. 40% ficam entra 21 e 35 anos e apenas 7% possuem menos de 20 anos. A maioria desses consumidores adquire moto para substituir o transporte público, em virtude do preço mais acessível que o dos carros e facilidade de locomoção. 19% consomem para substituir os carros, 16% utilizam como instrumento de trabalho e 15% utilizam a moto como forma de lazer. A predominância da opção pelo veículo ainda é masculina, 75% dos consumidores são homens e apenas 25% são do sexo feminino.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email