Doença renal cerca cada vez mais a vida dos pets. Não descuide!

A insuficiência renal está cada vez mais presente em pets, principalmente em animais idosos. No entanto, doenças infecciosas agudas podem desencadear o mau funcionamento dos rins e levar a uma morte súbita. Por isso, os tutores devem ficar de olho nos sintomas e buscar ajuda profissional imediata.

Tanto cães e gatos podem manifestar a doença, mas em geral os felinos têm mais predisposição ao problema. Os rins são essenciais para a harmonia do organismo, pois filtram as impurezas e outras substâncias tóxicas que devem ser eliminadas na forma de excrementos.

A perda da capacidade de filtragem do órgão causa a retenção de ureia e creatinina no sangue. Se esse lixo fruto do metabolismo do corpo não sair regulamente da corrente sanguínea, todos os sistemas que mantêm vivas as células podem falir, paralisar, com a possiblidade de tornar-se um processo irreversível.

Na maioria dos casos, a insuficiência renal pode ser causada simplesmente pelo envelhecimento do animal, principalmente quando o bichinho tem predisposição para desenvolver a doença. Porém, uma dieta não saudável,  falta de exercícios regulares, obesidade, diabetes, também são fatores de risco, além de doenças infecciosas e intoxicações graves.

Como os humanos, os pets podem ter necessidade de submeter-se a hemodiálise quando os rins param completamente de funcionar, deixando o organismo urêmico e com excesso de creatinina. A partir daí, a máquina fica encarregada de fazer a filtragem do sangue. Porém, o processo é extremamente doloroso e impactante para o corpo.

Desculpa o exagero, as sessões de hemodiálise são como uma antessala da morte. Tanto humanos como os bichinhos sofrem muito e poucos conseguem ter uma sobrevida satisfatória. A qualidade de vida cai muito, o organismo perde a capacidade de reagir a outras doenças com a falência do sistema imune, ficando mais vulnerável a vírus, bactérias, fungos e a outros microrganismos.

Portanto, o melhor é investir na prevenção, adotando uma vida mais saudável, aliada a uma dieta balanceada, seguida de menor consumo de sódio, açúcar e gorduras. Em contrapartida, a ingestão de mais fibras leva a um melhor funcionamento do trato intestinal, prevenindo a obesidade e ainda diabetes, duas doenças crônicas progressivas que deterioram os órgãos e causam a insuficiência renal.

Praticamente, todas as raças de felinos são mais propensas a ter a doença. Entre os cães, os mais

O tratamento consiste na adoção de uma dieta com suplementos vitamínicos, redução de proteínas e terapia com fluidos e eletrólitos – em outras palavras, administração endovenosa de soro, contendo substâncias que controlam a doença. Mas quando o caso realmente se torna agudo e haja falência renal, a melhor solução é recorrer à hemodiálise.

A doença pode levar a quadros de úlcera, infecção e pressão alta. E ainda causar cegueira nos animais. E também em humanos.

POR DENTRO

SINTOMAS

. Emagrecimento

. Perda de apetite

. Vômitos

. Diarreia

Anemia.

. Urina clara e frequente.

. Beber água com muita frequência

DICA ANIMAL

‘Que otite infernal’

Quem ainda não viu um cão coçando intensamente o ouvido e que às vezes parece estar gostando do hábito recorrente? Parece choramingar pela coceirinha – de dor e satisfação. Um paradoxo, pois sabemos que dor e prazer não combinam, em geral. 

Mas não nesse caso. Ele levanta a patinha, coça e em seguida balança as orelhas, que em algumas raças têm um formato charmoso. As orelhas dos cães têm uma incrível capacidade de captar ruídos. Eles ouvem dez vezes mais que os humanos. Mas essa habilidade de audição mais acurada acaba sendo afetada por uma doença que já se tornou comum entre os pets – as otites, que são uma inflamação no conduto auditivo causada por ácaros, fungos, bactérias e corpos estranhos. Quanto mais cedo se descobrir o problema, melhor será o prognóstico.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email