Dieese anuncia inauguração de escritório em Manaus

Daqui a no máximo 60 dias, representantes de entidades profissionais do Amazonas devem finalmente implantar o escritório regional do Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos) no Estado, que entre outras atividades fará o acompanhamento mensal do preço da cesta básica em Manaus.
Em assembléia realizada ontem à noite no Taj Mahal Continental Hotel, com a presença de representantes do Dieese, os dirigentes dos trabalhadores se mostraram dispostos a manter o escritório, arcando com um custo médio de R$ 7 mil ao mês, que inclui a contratação de uma secretária, um técnico e um pesquisador.

Estrutura local

Apesar de reduzido, o quadro de funcionários é o suficiente para desenvolver a pesquisa da cesta básica na cidade, que vai ser o carro-chefe da instituição. De acordo com o coordenador de relações sindicais do Dieese, Nelson Karam, o custo de instalação não é elevado porque o funcionamento do escritório pode acontecer na sede de um dos sindicatos.
Segundo o presidente da CUT-AM (Central única dos Trabalhadores), Valdemir Santana, há três anos os sindicatos e federações laboriais tentam, sem sucesso, implantar um escritório do Dieese na capital.
“Temos um pólo industrial forte, mas não dispomos de pesquisas e indicadores regionais como o da cesta básica, que é muito importante na hora de negociar um acordo coletivo com as empresas. Com a fundação do escritório, estaremos bem servidos de dados”, comemorou o dirigente.
Conforme o presidente da Força Sindical do Amazonas, Vicente Filizzola, a fundação da unidade não passa dos próximos dois meses. “Sessenta dias é o tempo necessário para que as organizações se associem ao Dieese”, explicou.
Assim como o presidente da CUT-AM, Filizzola destacou que os indicadores fornecidos pelo departamento intersindical podem subsidiar os profissionais nas negociações com as empresas, citando como exemplo a discussão da PLR (Participação nos Lucros e Resultados).
Segundo Nelson Karam, a direção do escritório regional do departamento de estudos socioeconômicos precisa ter no mínimo seis representantes de organizações associadas ao departamento nacional. Para se filiarem ao Dieese, os sindicatos precisam desembolsar um valor mínimo de R$ 330 ao mês, que varia de acordo com o porte da instituição.
“Agora os sindicatos precisam envidar esforços para se filiar ao departamento intersindical. Com isso concretizado, estaremos em Manaus no dia 19 de novembro para a assembléia de fundação da unidade”, afirmou Karam.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email