Dermatites atormentam a vida dos pets, mas dá para controlar

Quem ainda não viu um cão choramingando de tanto se coçar e, às vezes, até sangrar a pele? Pois é, a coceira que tira a paz do bichinho tem várias causas. Elas podem ser causadas por alimentos e contato com substâncias químicas – as chamadas dermatites de contato.

Existem ainda as dermatites autoimunes, que veem o próprio organismo como agressor e reagem violentamente para conter o pseudo-inimigo. Nesse caso, o problema está no DNA. E merece uma investigação mais profunda.

Fungos, ácaros e até bactérias também estão no rol de micro-organismos que atacam a pele dos bichinhos. Por isso, é importante fazer um raspado cutâneo ou até exames específicos de sangue para diagnosticar o problema.

Existem ainda as causadas por picadas de pulga e carrapato. Se não tratadas devidamente, essas alergias podem se tornar crônicas e evoluir para piodermites, que são a infecção de pele. O animal se coça tanto que vira uma ferida – os eczemas emergem na derme, as inflamações aparecem e as bactérias invadem os locais dos pruridos, criando situações específicas e adequadas para a proliferação.

O tratamento consiste em administração de antialérgicos, antibióticos, aliados a remédios de uso tópico, isso nas situações mais básicas. Então, se você é daqueles que não se importa em oferecer qualquer tipo de alimento ao seu pet, fique atento. Caso o seu amiguinho coma algo que precipite uma alergia, é sinal de que o produto não é adequado para ele. E as consequências serão drásticas para o seu bolso – gastos com tratamentos caros e exames, sem contar com o incômodo e o extremo desconforto causados aos pets.

Imagine você se coçando o tempo todo, com o aparecimento imediato de feridas de tanto friccionar a pele? Nós temos como recorrer a um médico, falar sobre o problema e aliviar esses sintomas. E eles, que não falam e não podem dizer diretamente o que estão sentindo, expostos à vontade de quem os ajude – então, o sofrimento é maior.

Por não poderem falar o que sentem, os animais dependem de nós para ajudá-los. São os únicos pacientes que não falam.  Portanto, é necessário ter olho clínico e estar atento sobre eventuais problemas de saúde que possam aparecer nos bichinhos.

Entenda que os pets têm hoje no mercado uma vasta rede de produtos alimentícios feitos especificamente para eles. São itens que resultam de anos e anos de pesquisa. Os especialistas se debruçam compulsivamente em estudos para oferecer a melhor dieta para os bichinhos e que supram todas as suas necessidades nutricionais.

Alimentos condimentados, frango, pão, doces e produtos derivados de trigo são apontados como os maiores causadores de alergia em animais. E incorrer no erro de servir quaisquer ‘bagatelas’ em termos de alimentação para nossos amiguinhos é contribuir para que eles vivam menos. Aliás, é bom lembrar, que os pets vivem pouco em comparação aos humanos. É por questões de evolução. Então, vamos desfrutar o pouco tempo que eles podem estar conosco.

POR DENTRO

Principais causas

. Sarna provocada por ácaros, fungos

. Infecções por vírus, bactérias

. Alimentação irregular

. Falta de higienização

. Origem genética, DNA

DICA ANIMAL

‘Meus ouvidos coçam tanto que chego a chorar’

Quem ainda não viu um cão coçando intensamente o ouvido e que às vezes parece estar gostando do hábito recorrente? Parece choramingar pela coceirinha – de dor e satisfação. Um paradoxo, pois sabemos que dor e prazer não combinam, em geral.  Mas não nesse caso. Ele levanta a patinha, coça e em seguida balança as orelhas, que em algumas raças têm um formato charmoso. As orelhas dos cães têm uma incrível capacidade de captar ruídos. Eles ouvem dez vezes mais que os humanos. Mas essa habilidade de audição mais acurada acaba sendo afetada por uma doença que já se tornou comum entre os pets – as otites, que são uma inflamação no conduto auditivo causada por ácaros, fungos, bactérias e corpos estranhos.

Quanto mais cedo se descobrir o problema, melhor será o prognóstico. Pode-se investir na prevenção levando o pet para banhos em locais confiáveis que usem protetores auriculares. Deve-se secar bem as orelhas dos bichinhos para prevenir infestação por ácaros. A dica é não deixar cair água nos ouvidos. O tratamento é à base de antibióticos, anti-inflamatórios e limpeza regular com produtos tópicos.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email