18 de maio de 2021

Crise veio na pré-pandemia no turismo do Amazonas

De acordo com dados divulgados pelo Mtur (Ministério do Turismo), a entrada de turistas estrangeiros no país pelo Amazonas apresentou queda de 18,7% em 2019. O fluxo internacional de visitantes a destinos brasileiros pela capital chegou a 29.303, abaixo de 2018, onde ingressaram 36.064. Os números fazem parte do Anuário Estatístico de Turismo 2020, ano base 2019. Os Estados Unidos e a Colômbia são os países provenientes com 11.796 e 4.663 destes turistas, respectivamente. 

Conforme o Departamento de Estatística da Amazonastur,  não necessariamente a baixa na admissão da entrada é um dado negativo, mesmo porque, não é possível identificar quem desses estrangeiros que adentraram ao Brasil, por acesso ao Amazonas, realmente permaneceram aqui ou utilizaram o destino para fazer alguma conexão para outros destinos do País. “É preciso levar alguns pontos em consideração, por exemplo, se os números refletem por conta da diminuição no assento de voo ou frequências destes. Houve uma redução nas entradas pelo portão, por outro lado houve um aumento de fluxo de turistas”, analisa o chefe do Departamento de Estatística da Amazonastur, Francisco Alves. 

Redução do turismo no ano pré-pandemia mostra que a crise era anterior à Covid-19
Foto: Divulgação

Segundo dados compilados a partir de informações hoteleiras e operadores, o fluxo de turistas estrangeiros em 2019 foi de 223.714, o que demonstra um crescimento de 1,44% em relação a 2018 quando recebemos 220.549.

O cenário nacional também apresentou queda de 4%  em relação a 2018, que registrou 6.621.376 a mais que 6.353.141 de 2019. O maior responsável pela queda foi a Argentina, que reduziu a emissão de visitantes de 2.498.483 para 1.954.725. A principal porta de entrada do país continuou sendo a aérea (4.288.528), seguida da terrestre (1.839.451) e marítima (123.127)

De acordo com o ministro do Turismo, Gilson Machado Neto, a queda nos números pode ser explicada pela redução dos visitantes do nosso principal emissor, a Argentina, que viveu um ano de muitas mudanças políticas em razão da eleição presidencial. Acredito que temos trabalho em todas as frentes para desenvolver todo o potencial turístico do nosso país no período pós-pandemia. “O Brasil reúne todas as condições para atender o novo perfil de viajante: foco na biossegurança e destinos de natureza”.

Outros números

Quanto às vias de acesso ao Amazonas, a maior parte dos visitantes optou pela via aérea, 69,4%, e 30,6% pela via terrestre. Observa-se uma diminuição de 26,2% quanto ao uso do transporte aéreo pelos turistas em 2019 se comparado ao ano de 2018. Em contrapartida, as chegadas por via terrestre aumentaram 5,6% no mesmo período. Quanto aos principais continentes emissores de turistas, destacam-se América do Norte, 43,1%, seguido pela América do Sul, 36,5%, e Europa, com 12,8%.

O número global de turistas estrangeiros no país: 6,3 milhões de turistas estiveram por aqui em 2019. Mais da metade desses visitantes – 3,6 milhões – vieram dos países vizinhos, confirmando a força do turismo regional para o desenvolvimento do setor no Brasil. Os argentinos seguem liderando a lista dos principais emissores (1,9 milhão), seguido dos Estados Unidos (590 mil) e Paraguai (406 mil).

Ainda segundo  o Anuário Estatístico de Turismo 2020, os meses mais procurados pelos turistas internacionais foram janeiro e fevereiro, meses de alta temporada. Janeiro recebeu 863.301 mil visitantes, enquanto em fevereiro contabilizou 816.032 mil.

Entre os estados que apresentaram crescimento no ingresso de visitantes internacionais estão Amapá (7,8%), Bahia (2,4%), Ceará (5,1%), Paraná (6,2%) e São Paulo (5%).

Foto/Destaque: Divulgação

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email