Cresce produção de monitores e TVs de c ristal líquido no PIM

Após encerrar o primeiro semestre com 201,12% e 238,19% de crescimento produtivo no comparado ao mesmo intervalo do ano passado, conforme os indicadores da Suframa, fábricas de monitores e TV de cristal líquido apontam para uma estimativa positiva de encerrar o segundo mês consecutivo com incremento de até 30% no faturamento projetado para o período.
Segundo o estudo Brazil Quartely LCD and Plasma Monitors Tracker Q2 2007, realizado pela IDC Brasil, de janeiro a julho foi verificado que as grandes empresas coreanas, consideradas líderes mundiais no segmento, perderam mercado de forma consecutiva durante os dois primeiro trimestres para empresas com produção nacional, como a Proview e AOC.
“Mais um reflexo da explosão das vendas de computadores observada desde o ano passado, a substituição dos monitores foi prevalecida por modelos LCD em detrimento aos de tubo catódico, ultrapassando o volume de vendas no semestre”, comentou o analista da IDC Brasil, Reinaldo Sakis.
O contexto de crescimento favorável no qual o mercado interno se desenvolveu este ano motivou investimentos na contratação de mão-de-obra especializada para atender a demanda prevista para o fim do ano. Segundo o diretor industrial da Proview Eletrônica do Brasil, Jorge Cruz, a empresa destinou US$ 1,2 milhão para ser investido no reaparelhamento de setores e abertura de novas frentes de trabalho especificamente para atender as linhas de TV e monitores de cristal líquido no PIM (Pólo Industrial de Manaus) e ampliar em 30% a capacidade produtiva da Proview.

O executivo afirmou que as contratações vão assegurar o cumprimento da meta de crescimento de 200% da produção de televisores de cristal líquido que deverá saltar dos 10 mil, contabilizados em 2006, para 30 mil unidades até dezembro. “As contratações, que devem começar no início de setembro, vão gerar 60 novos postos de trabalho para a produção dos modelos de 15’, 17’ e 19’ nesse primeiro momento”, assegurou Jorge Cruz.
Quanto aos monitores tradicionais, o diretor analisou que a substituição pelos modelos LCD é uma tendência irreversível e apontou que a Proview, de olho nesse mercado, espera a produção de 160 mil unidades frente aos 104,61 mil do ano passado. Na opinião de Jorge Cruz, a Proview deve alcançar R$ 100 milhões em faturamento com a produção de TV e monitores de cristal líquido, montante 35% maior que o obtido pela empresa com o segmento no ano passado.
Já a AOC-Brasil, subsidiária do grupo chinês TPV, fabricante de monitores para computador e displays de LCD, pretende ampliar em mais de 50% sua produção no PIM comparado ao montante obtido em 2006.
Segundo o gerente administrativo da AOC, Ilson Koji, a grande demanda do mercado pela nova tecnologia LCD vem requerendo investimentos para a contratação de mão-de-obra especializada, que deverá saltar dos 1.364, no primeiro semestre, para 1.450 funcionários contratados com carteira assinada.
Koji analisou que o panorama do mercado consumidor pela escolha do cristal líquido tende ao crescimento de 40% ao ano, concordando que a substituição dos modelos tradicionais é uma tendência irreversível.
Segundo o gerente, em 2006, a fábrica teve uma forte demanda pelos monitores tradicionais, também chamados de monitores de CRT (Tubo de Raios Catódicos), tendência que se inverteu a favor do LCD este ano. “Como o custo dos monitores tradicionais é inferior ao do cristal líquido, aumentando a capacidade da linha fabril e modificando os itens para assegurar a demanda, é possível que o faturamento da AOC alcance valor acima dos 50% esperados”, disse Koji, acrescentando que é possível que o segmento de LCD atinja o faturamento de R$ 200 milhões.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email