Coordenadoria impulsiona segmento

De olho no faturamento gerado pelo principal produto de exportação do PIM (Polo Industrial de Manaus), as preparações para elaboração de bebidas, a Fieam (Federalção das Indústrias do Estado do Amazonas) criou um departamento para atender especificamente esse setor. De acordo com o presidente da Fieam (Federação das Indústrias do Estado do Amazonas), Antonio Silva, o segmento dos concentrados vai funcionar sob a coordenadoria chefiada pelo vice-presidente Nélson Azevedo e será comandada pelo economista Assis Mourão. Conforme explicou Antônio Silva, o departamento terá como foco a “resolução de problemas de forma pacífica, buscando sempre o entendimento entres os entes”.
Para o presidente da Fieam, um dos principais gargalos é a discussão em torno dos PPBs (Processos Produtivos Básicos) de forma que uma possível alteração não afete o desenvolvimento do polo de bebidas no PIM. Além disso, a manutenção do status quo do setor como um dos principais para a economia local será um dos objetivos da coordenadoria.
“Hoje o polo de bebidas é importante, praticamente um dos principais, e que contribuiu com o nosso crescimento, que foi muito pequeno, mas se não existisse seria um crescimento abaixo do esperado. Queremos manter o status quo e ficar atentos a qualquer tipo de mudança, principalmente no que diz respeito aos PPBs (Processos Produtivos Básicos), ter um entendimento com o corpo técnico da Suframa e continuar no mesmo patamar”, explicou.

Números
Os números da balança comercial brasileira, divulgados pelo Mdic (Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior) no último dia 24 de março, mostram a importância do setor para a economia local. De acordo com os dados do Mdic, no primeiro bimestre de 2014, a Recofarma Indústria do Amazonas Ltda. foi principal exportadora do PIM, sendo responsável por 26,13% de toda a exportação amazonense no período. Além da Recofarma, outras 20 empresas do Polo se dedicam à elaboração de concentrados.
Já os dados dos Indicadores de Desempenho do Polo Industrial de Manaus do mês de janeiro, mostram que em 2013 foram produzidos 69.784.364 kg/l do produto dentro da Zona Franca de Manaus, o que gerou um faturamento de aproximadamente R$ 9 bilhões (US$ 4,15 bi). O mesmo documento mostra que a produção de concentrados e extratos em janeiro deste ano foi de 4.578.521 kg.l, com faturamento de R$ 4,9 bilhões.
Conforme explicou Antonio Silva, a expectativa para este ano é o crescimento na venda de refrigerantes por conta da Copa do Mundo e, por consequência, um crescimento natural na produção de concentrados, repetindo o desempenho positivo do ano passado no setor.
“O polo vai ter todo o apoio da Federação, vamos trabalhar em conjunto com todos os fabricantes de concentrados para que a gente possa impulsionar cada vez mais o polo de concentrados, que contribui muito com o somatório de valores que conseguimos em 2013 e queremos repetir em 2014”, concluiu.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email