Consumo de bens duráveis cresce 0,2% até julho

As vendas em valores de bens duráveis tiveram cresceram 0,2% na comparação dos sete primeiros meses de 2009 com o mesmo período do ano passado

As vendas em valores de bens duráveis tiveram cresceram 0,2% na comparação dos sete primeiros meses de 2009 com o mesmo período do ano passado. Minas Gerais, Espirito Santo e o interior do Rio de Janeiro formam a região que teve a maior alta: 11,7%. O interior de São Paulo e a Grande São Paulo também apresentaram variações positivas, de 6,2% e 4,1%, respectivamente. Porém, as demais regiões tiveram resultados negativos.
A informação consta no compilado de estudos de 2009 sobre movimentação do mercado no país, elaborado pela empresa alemã de pesquisas GfK Retail and Technology e apresentado durante a sua 6ª Conferência Anual: “O Brasil e a Crise em 2009.
Com relação à evolução dos lançamentos em número de itens, a linha branca teve alta de 113% ao comparar-se o segundo trimestre do ano passado com o mesmo perí­odo de 2009 e a de informática crescimento de 18%. O número de lançamentos caiu nas demais linhas. A oscilação da linha marrom resultou em queda de 1%. Portáteis (-6%), fotografia (-16%) e telecom (-45%) também apresentaram resultados negativos. Em julho de 2009, a maior resposta de vendas dos lançamentos dos últimos três meses ocorreu nas linhas de informática (26,9%), marrom (14,9%) e fotografia (14,6%).
Mesmo com a crise mundial, as vendas em reais da linha branca tiveram aumento de 3,3%. Isso porque, o desempenho da linha com relação ao faturamento de todos os bens duráveis representava 21,4% de janeiro a julho de 2008 e passou para 24,7% no mesmo período de 2009. As localidades que tiveram maior destaque foram: Espírito Santo, Minas Gerais, Nordeste e Rio de Janeiro -em especial o interior.
Os refrigeradores, produtos mais importantes da linha, tinham uma previsão de vendas negativas antes da redução de IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados). Mas, em função da mudança na alíquota, as vendas dos produtos entre janeiro e julho de 2009 foram 7% maiores que no mesmo período do ano anterior.
Além do crescimento das vendas da categoria, também houve aumento de cerca de 9% na proporção de geladeiras de duas portas, ou seja, a redução de IPI incentivou a compra de refrigeradores duplex em detrimento das de uma porta. A redução do imposto registrou crescimentos recordes e alavancou a participação de tecnologias mais caras.
Fornos de micro-ondas, máquinas de lavar roupa e fogões também apresentaram crescimento nas vendas no mesmo período deste ano: 38%, 26% e 22%, respectivamente, em relação a janeiro e julho de 2008.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email