Concurseiros esperam retomada de editais

Com a suspensão temporária dos certames para ingresso na carreira pública em razão da crise do novo coronavírus, a corrida em busca de uma vaga no funcionalismo público deve ganhar fôlego e trazer mais ânimo para os concurseiros de plantão neste segundo semestre pós-pandemia. 

“Os cancelamentos foram necessários por conta da situação de pandemia que vivenciamos. Mas, com a melhoria dos números, devemos ter uma retomada gradual dos certames, com vários deles ocorrendo entre o fim deste ano e o início do ano que vem”, afirma o professor e sócio de um cursinho preparatório, Renato Cabral.

Ele conta que antes da pandemia, a procura estava bem intensa, em virtude da iminência da publicação do edital do concurso da Semsa e manteve as aulas presenciais até 16 de março. Após este período, foi necessário uma breve paralisação e, dia 20 do referido mês, passaram a oferecer aulas pela modalidade on-line

“Oferecer aulas on-line estava nos nossos planos para o segundo semestre. Porém, em virtude da pandemia, tivemos que antecipar o projeto. Passamos a oferecer aulas pela internet e ao vivo”.

Conforme Renato, durante esse período, mesmo com as promoções houve uma queda gradual, mês a mês, que chegou a 70% entre maio e junho, considerado o momento mais crítico.

No último dia 13, o cursinho retomou as aulas presenciais, com presença reduzida em sala de aula (em torno de 40 por cento da ocupação), com todas medidas de segurança, recomendadas pelas autoridades públicas. Com o retorno do presencial, ocorreu  uma interrupção na tendência de queda, de abril até junho “.Ainda assim, vários dos nossos alunos continuaram optando pela modalidade on-line, em torno de 60%, por se sentirem mais seguros e também por terem se adaptado bem à modalidade on-line, já que nossas aulas EAD são ao vivo, com o aluno podendo fazer questionamentos pela internet na mesma ocasião em que as dúvidas surgem”.

Ele lembra que dia 29 foi publicado o edital para a Escola de Especialistas da Aeronáutica, para formação de Sargentos, com provas em 21 de novembro.  Ainda neste mês o Amazonprev anunciou constituição de comissão interna para fazer o levantamento das vagas para a realização de seu concurso. A Semsa também está com banca escolhida e pode ser publicada a qualquer momento.

Sobre os concurso federais, o professor diz que existe uma cerca escassez desde 2015, com pouquíssimos certames sendo publicados de lá pra cá. E que o atual governo prosseguiu nesta política de segurar os concursos e deve dar sequência a esta filosofia até o fim do mandato. “Já ocorreu em outros governos e não chega a ser uma surpresa. É um movimento natural em épocas de arrocho fiscal”. 

Vale lembrar que existe uma proposta aprovada no Senado Federal e que aguarda sanção presidencial desde 7 de maio em relação aos concursos. O PLP (Projeto de Lei Complementar) n° 39/2020, conhecido como PLP do congelamento dos salários dos servidores públicos, proíbe reajustes ao funcionalismo e a realização de concursos ou criação de cargos até o fim de 2021.

Mesmo assim, ele destaca que  os concursos federais voltarão com a retomada econômica. Órgãos muito importantes como Receita Federal e Ministério do Trabalho e INSS estão há muito tempo sem concurso e necessitarão de novos servidores em algum momento e que os candidatos que pleiteiam vagas a nível nacional, provavelmente irão  mudar o foco para concursos estaduais e municipais.

“Alguém que estava estudando para a Receita Federal pode redirecionar seus estudos para Secretarias Estaduais de Fazenda ou Secretarias Municipais de Finanças. Ou Tribunais de Contas. TCE/AM, por exemplo, encontra-se com concurso confirmado para o fim do ano ou início do ano que vem, com a FGV já sendo escolhida como banca examinadora. Também há TCU com boas perspectivas para os próximos meses”. 

Ele explica que esse intervalo entre os concursos federais deve ser visto como uma oportunidade para quem deseja iniciar um estudo agora, almejando cargos mais cobiçados, como Auditor Fiscal ou Analista Tributário da Receita Federal ou Auditor Fiscal do Trabalho.Além disso, aconcorrência nestes certames é muito acirrada. São concursos que exigem um estudo de longo prazo. Quem busca resultados imediatos, com dois ou quatro meses de estudo, em cargos desta natureza, tende a se frustrar.

“O candidato deve utilizar este tempo a seu favor, para aprimorar os estudos. Quando o edital de interesse dele for publicado, ele já estará bem adiantado em relação a uma série de assuntos e estará em condição de vantagem em relação aos demais candidatos”. 

Na mesma perspectiva, o diretor de um cursinho na capital,  Ilcymar Monteiro, mas comenta que foi um momento bem difícil com tudo parado. “Estamos lidando com a situação e tentando voltar ao mercado novamente e buscando reaquecimento aos poucos. Seguimos aguardando a liberação de algum edital estadual ou municipal que é o nosso foco. Até o momento, o único com essa expectativa é o concurso da Semsa que a gente aposta na saída ainda este. Estão previstos o anúncio dos editais da Amazonprev e Manausprev, e do TCE, para o próximo ano”.   

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Siga-nos

Notícias Recentes

JC Play

Podcast

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email