Competências – No Brasil ou na Áustria psicopatas estão à solta

O século XXI chegou prometendo muitas novidades. Junto com as promessas tecnológicas, avanços de toda sorte, trouxe também à tona uma somatória acontecimentos que a todos toma de assalto. Para melhor entendimento do leitor iremos discorrer neste artigo, sobre alguns atos cometidos por pessoas adoecidas emocionalmente, muitas com histórico de estupro na infância, maus tratos, cuja afetividade ou sentimentos de amor e afago não conheceram. Muitos destes adoecidos psiquicamente infelizmente estão entre nós. Talvez até estejamos convivendo com alguns próximos de nossos entes queridos. A verdade é que o número de indivíduos com desvio de conduta cresceu em todo mundo e de forma alarmante, notadamente nos últimos dez anos. Ou pelo menos a mídia nos trouxe com mais liberdade nestes novos tempos. É notória a propagação de comportamentos sombrios. O número de pedófilos tem multiplicado como nunca dantes. Este é reflexo de tantas mazelas identificadas na conduta de milhares de vidas pelo mundo afora. Um verdadeiro caldeirão de nuances patológicas, também referendado cientificamente por muitos observadores e especialistas do comportamento.

De Norte a Sul sentimentos de comoção e indignação
Somente para exemplificar, a imprensa mundial, nacional e local tem bombardeado diuturnamente em seus noticiários, uma série de eventos ocorridos dentro e fora do Brasil, deixando muitos de nós indignados. São crimes considerados hediondos cujo feitio tem sido constituído de características macabras por pessoas com traços psicóticos diversos. São indivíduos que semeiam sofrimento, usam requintes de crueldade e ações calculistas para cometer atos animalescos sob pretextos inexplicáveis. A violência tem sido a tônica para tirar a vida de muitos incautos. Num mundo extremamente consumista, assistimos a tudo de forma perplexa, mas passiva. Estamos apáticos. Diante de tantos desmandos, anestesiados com o que nos é apresentado. O que na verdade se deseja imprimir nestas linhas ganha um tom mais contundente, pois queremos fomentar uma grande discussão em torno da maior genocídio que se tem notícia nos últimos anos. Um lastro de maldades sem precedentes, cometidos por humanos feito a seres iguais. Para ser mais exato, os primeiros dez anos deste século, foram manchados pela incoerência e frieza de muitos insensíveis com a vida humana. São comportamentos incestuosos recheados de consumo drogas, atitudes intrépidas que vão além do se possa convencionar no campo da normalidade. Muitos são os nomes dados as suas loucuras: religião, ritual psicodélico em nome de filosofia, um pseudo dogma, isto é, sacrificam preciosas vidas todos os dias, sob pretextos banais, pagãos inimagináveis.

Crimes hediondos abalam milhões; jamais serão esquecidos
Contextualizando para uma realidade mais próxima dos brasileiros, temos assistido perplexos o que a imprensa descreve nos matutinos ou mesmo na mídia eletrônica. Um deles é conhecido de todos. Os detalhes são animalescos e abalou milhões, jamais será apagado de nossas mentes. Mesmo porque foi engendrado contra uma criança indefesa. Um dos atos que não poderia ser mais covarde, pois a vítima não teve qualquer chance de defender-se por sua própria fragilidade. Por certo, não precisamos ir mais longe para que o leitor identifique sobre o que estamos falando. O mais intrigante é que os homicidas estão em liberdade, apenas por serem réus primários, terão regalias por parte da lei. O leitor há de concordar de que a legislação brasileira notadamente o poder público precisa urgentemente rever uma quantidade de leis que se mostram obsoletas. A justiça do Brasil, em certos casos, perdeu a noção do verdadeiro direito, até pelos arcaicos métodos ainda em vigor, depois de décadas. Salvo alguns casos, a justiça brasileira caminha a passos letárgicos tomando posturas, muito aquém dos anseios da sociedade. Mesmo leigo no assunto, se pode conjecturar que muitos atos cometidos pelos ditos promotores da lei, estão por assim dizer, na contram

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email