Somos o que pensamos
Toda a nossa vida é regida por nossos pensamentos. Porque o pensamento é o elo de ligação de outros dois fatores importantes que são o sentimento e as nossas ações. Assim temos três forças que interferem no dia a dia de cada ser humano: o pensamento, o sentimento e as ações.
Em uma de suas músicas Caetano Veloso diz que o pensamento parece uma coisa à toa mas como é que agente voa quando começa a pensar. É verdade. O pensamento nos leva em instantes – que podem ser inferiores a milésimos de segundos – a lugares tão distantes que seriam necessárias horas de avião, dias de barco, ou décadas de existência de vida para podermos chegar lá.
Se quisermos visitar as pirâmides do Egito vamos levar uma dezena de horas de avião, e mais algumas horas de carro. Mas depois de visitadas basta um simples pensamento, para nos sentirmos novamente no local. Qual foi o tempo gasto para essa viagem? Um breve instante. O mesmo acontece com aquele lugar paradisíaco que conhecemos de barco. Tem pessoas que conseguem se sentir no Egito antigo da época dos faraós, conseguem imaginar toda a movimentação daquela época, ver até mesmo como foram construídas as pirâmides – não sei se o que vêem é a verdadeira história ou não – e novamente atravessaram décadas e décadas de existência com um simples pensamento.
No caso anterior nós definimos o que pensar, como pensar e quando pensar. Outra face do pensamento porém é quando ele ocorre aparentemente sem que tenhamos qualquer influência sobre ele. Por vezes pode nos ocorrer um pensamento de pessimismo sobre alguma coisa. Esse é o ponto central do assunto que vamos abordar, melhorar o nosso pensamento.

Porque surgem em nossas cabeças pensamentos que não pedimos para eles aparecerem
Na verdade tudo o que pensamos é fruto de nossas vivencias. De alguma forma alimentamos esse pensamento que aparentemente nos ocorreu involuntáriamente. Então o que fazer?
Não vou discorrer aqui sobre as vivencias e muito menos sobre o subconsciente vou abordar apenas o fato, a melhora do pensamento. Então o caminho é tomar consciência, encarar o pensamento a ser melhorado de frente, ele está aí mesmo, você já pensou, não vai mais poder ser apagado. Todos nós temos defeitos então pensamos coisas defeituosas também. O que importa agora é como corrigir. Essa correção pode começar com uma reflexão sobre. Podemos perguntar por exemplo porque pensei isso? Ele é a minha verdadeira essência? É assim que eu sou de verdade? É assim que eu gostaria que se desencadeasse? Se esse pensamento indesejado virasse uma realidade que benefícios traria para mim e para os que me cercam? Aconteceriam coisas boas ou ruins? A cada pergunta feita você pode responder e de acordo com a resposta pode ir ajustando um novo pensamento, mais adequado ou mais ao seu gosto. Alguns chamam a isso de meditação, outros reflexão. O importante é retrabalhar o pensamento. Toda vez que um pensamento é retrabalhado indica que você o percebeu, não gostou de seu jeito e o reposicionou. Esse ritual cria pensamentos melhores. Pensamentos melhores geram ações melhores.
A ação é o outro elemento de destaque, quando agimos podemos fazer isso instintivamente, no caso de sobrevivência, quando nossas vidas correm perigo. Ou podemos pensar antes de agir. Alguns educadores são muito bons nisso e sempre recomendam contar até dez antes de agir. Esse artifício serve para que repensemos e a ação seja sempre mais adequada, serve também para evitar aquela ação no estilo instintivo, ou colérica. Então se algo sai errado e o pensamento é de sair correndo, ou chutar o balde, conte até dez e reflita.Se sair correndo ou chutar o balde não vai resolver o problema, pelo contrário só vai piorá-lo, não faça. Encare-o de frente reflita e ache uma nova solução mais adequada. Por isso que algumas pessoas aconselham que devemos agir com a razão. Então nossas ações podem ser frutos do controle que temos de nossos pensamentos.
E por fim, mas não menos, importante vem o sentimento. Não necessariamente nesta ordem, pensamento, ação, sentimento. Eles se intercalam o tempo todo. O sentimento é como se fosse o tempero para a comida. O feijão é o mesmo – o pensamento – mas o gosto pode ser diferente depende do tempero – o sentimento. Se alguém pega o seu relatório e você emite um pensamento de negativo junto com o sentimento de raiva ou de vingança sobre quem você supostamente acha que pegou seu relatório a sua ação pode ser um desastre. E se foi o seu chefe que precisou pegar o relatório para tomar uma medida importante ou até mesmo urgente. Então a liberação das emoções sobre o pensamento vai deixar o prato mais gostoso ou não. Precisamos escolher certo o tempero que queremos colocar para não deixar o prato intragável.
O tempo todo estamos pensando, sentindo e agindo. Como o pensamento é um poderoso elo de ligação, pensar melhor melhora a vida, o trabalho, os relacionamentos, etc..
A propósito você já pensou como vai ser o seu fim de semana?

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email