Pesquisar
Close this search box.

Carros antigos em exposição

No domingo, 3 de março, das 8h às 12h, os apaixonados por carros antigos já podem agendar uma visita a mais uma Exposição de Carros Antigos, realizada por diversos clubes: Opala Clube de Manaus, Clube do Carro Antigo do Amazonas, Fusca Clube de Manaus, Clube do Fusca do Amazonas, Monza Clube, Chevetteiros AM, Kombi Clube de Manaus e Quadrados AM. A Exposição acontecerá no Posto de Vistoria do Detran-AM, na rua Walter Zuani, 85 – São Francisco.

“Como realizamos sempre essas exposições, a quantidade de veículos não é fixa. Às vezes uns proprietários levam seus carros, outras vezes outros. Depende muito da presença do público, mas a média é de 40 veículos a cada exposição”, revelou Thiago Guimarães, organizador do evento.

As marcas dos veículos são velhas conhecidas, quase todas centenárias: Dodge (fundada em 1900), Ford (1903), Chevrolet (1911), e Volkswagen (1937), mas o que chama mesmo a atenção dos visitantes são as marcas, muitas delas eternizadas no imaginário de muitas pessoas. A seguir, algumas delas que estarão na Exposição de Carros Antigos: Opala (da Chevrolet, fabricado no Brasil de 1968 a 1992), Corcel (da Ford, fabricado de 1968 a 1986), Brasília (da Volkswagen, fabricado de 1973 a 1982), Chevette (da Chevrolet, fabricado de 1973 a 1993), Caravan (da Chevrolet, fabricada de 1974 a 1992), C10 (da Chevrolet, fabricada de 1974 a 1981), D20 (da Chevrolet, fabricada de 1985 a 1996), e, lógico, o Fusca (da Volkswagen, fabricado de 1959 a 1986, voltando de 1993 a 1996).

A sete chaves

Não por acaso o Fusca é o modelo mais lembrado, mesmo por quem não é apaixonado por veículos. O pequeno carro popular foi o primeiro a ser fabricado no país e circulou por ruas de Norte a Sul por quase 30 anos. Até hoje nenhum outro modelo foi fabricado por tanto tempo e interessante, após o fim de sua linha de produção, em 1986, o clamor por sua volta foi tanto que ele retornou à fabricação em 1993, continuando por mais três anos, quando finalmente deixou de ser fabricado. E nesses quase 30 anos sem sair da linha de produção, o Fusca não perdeu a sua popularidade, chamando a atenção ao passar pelas ruas, principalmente quando seu proprietário o mantém tal qual o dia em que foi retirado da loja.

“Manaus tem alguns colecionadores que possuem veículos dos anos de 1920 e 30, mas eles são guardados a sete chaves, porém, modelos dos anos de 1960, como o Opala e o Corcel, sempre fazem sucesso nas exposições”, disse.

Segundo Thiago, as exposições acontecem de 15 em 15 dias e ele explica o porquê do Detran.

“Sempre escolhemos locais públicos para as realizações porque todos os Clubes que organizam as exposições são empresas sem fins lucrativos e, para fazermos em espaço privado, necessitaríamos de renda”, falou.

“No caso do Detran, trata-se de uma parceria da instituição com os Clubes e amantes de carros antigos cujo objetivo é difundir essa cultura dentro de nossa cidade. Com isso o Detran também mostra que não é inimigo de quem gosta de carros, e sim, parceiro, funcionando, inclusive, no domingo, dia da exposição, para legalizar os veículos dos visitantes, deixando tudo em dia”, avisou.   

O Detran irá disponibilizar os seguintes serviços: transferência de veículo, entrega do CRLV-e, renovação da CNH (Carteira Nacional de Habilitação), mudança ou adição de categoria, segunda via da CNH e transferência de domicílio. Tais serviços só funcionam de segunda a sexta-feira, então é uma oportunidade para quem não tem tempo durante a semana.

Paixão pelo Fusca

Thiago contou que os proprietários dos veículos antigos, em princípio, não são ricos empresários, mas hobbistas que, por algum motivo tiveram histórias com eles, no passado, seja por apreço familiar, ou por ter sido seu primeiro veículo, ou mesmo um sonho de infância, que se tornou realidade. No caso de Thiago, sua paixão pelo Fusca começou quando ele viu a irmã chegar nesse modelo de veículo no dia do casamento dela.

“Foi paixão à primeira vista”, recordou.

Outro motivo que faz o Fusca ainda se manter tão popular é a facilidade em encontrar peças e a simplicidade na manutenção. Sobre manter um carro destes, Thiago lembrou que o custo varia de modelo e também do gosto do cliente.

“Vai muito além de como o proprietário quer manter o carro, seja ele customizado ou original. Existem diferenças distintas em peças, sejam originais ou réplicas, então isso tudo influencia nos valores, porém, todo carro antigo tem seus pontos positivos e negativos. Você precisa escolher um veículo que lhe agrade e que consiga pagar para mantê-lo”, ensinou.   

“Por isso essas exposições são importantes. Nelas você troca informações com outros hobbistas, fica sabendo quem são os profissionais honestos para a manutenção de seu veículo evitando que caia nas mãos de profissionais oportunistas que farão você gastar rios de dinheiro transformando seu sonho de ter um carro antigo, em um pesadelo”, concluiu.

***

Evaldo Ferreira

é repórter do Jornal do Commercio
Compartilhe:​

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Notícias Recentes

Pesquisar