Capacitação reduz taxa de mortalidade

Conforme dados do Sebrae, as empresas extintas são aquelas que têm suas atividades paralisadas, não necessariamente fechadas legalmente.

A margem de erro da pesquisa varia de 2,84% a 1,07%, para a análise das empresas ativas, e de 3,65% a 2,18%, para os dados das empresas extintas.

Para o diretor-técnico do Sebrae Nacional, Luiz Carlos Barboza, essa melhora significativa na taxa de sobrevivência das empresas é atribuída a dois fatores: a elevação do nível educacional dos empreendedores e o aumento na busca por mais informações para a abertura e gestão dos negócios.

Receita adequada

“Empreendedores mais bem capacitados e informados em um ambiente econômico favorável é a receita adequada para a maior sobrevivência das empresas”, justificou o executivo.

Entre os Estados com índices abaixo da média, a maioria é das regiões Norte e Sul. Maranhão (77,6%), Rio Grande do Sul (77,5%), Pernambuco (77,3%), Santa Catarina (75,9%), Amazonas (75,8%), Paraná (74,8%), Mato Grosso (74,5%), Tocantins (71,7%), Amapá (62,2%), Acre (60,3%) e Roraima 49,3%, são considerados os piores de todo o país.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email