Após acusações, Dilma e Alckmin se encontram

A presidente Dilma Rousseff e o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), se encontraram hoje após trocarem acusações no início do mês sobre as falhas do sistema metroviário na capital paulista.
Ambos deixaram o clima hostil de lado e adotaram discurso positivo. O encontro ocorreu na inauguração da primeira etapa do etanolduto entre Ribeirão Preto (313 km de São Paulo) -um dos maiores polos produtores de etanol do país -e Paulínia (117 km de São Paulo), um dos principais polos de distribuição de combustíveis.
A presidente e o governador subiram juntos no palco para a cerimônia. O cerimonial da Presidência da República, responsável pela organização do evento, chamou os dois ao mesmo tempo. O mais comum em eventos é anunciar o governador e, só depois, a presidente.
Após a cerimônia, Alckmin embarcou com ela no carro da Presidência e seguiram para o aeroporto da cidade. Dilma voltaria para Brasília e Alckmin cumpriria agenda na região.
No começo do mês, Dilma criticou o sistema metroviário paulista em um anúncio de construção de corredores de ônibus com o prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT).
Hoje, os dois sentaram lado a lado. Ao lado esquerdo da presidente estava o ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, e ao lado de Alckmin, a ministra-chefe da Secretaria de Comunicação Social da Presidência, Helena Chagas.
Participaram ainda do evento a presidente da Petrobras, Graça Foster, Sérgio Machado, presidente da Transpetro, Miguel Rosseto, presidente da Petrobras Biocombustível, e representantes das empresas que formam a Logum (empresa responsável pelo etanolduto) e dos governos estadual e federal.
Em ambas as falas, a presidente e o governador deixaram as críticas de lado e fizeram um discurso pró-ativo do setor sucroenergético e das obras de logística para escoar a produção, como o etanolduto e a hidrovia Tiête-Paraná, que será responsável por transportar etanol da região de Catanduva para Piracicaba, no interior paulista. Alckmin destacou o plano energético paulista e a produção de energia limpa pelo Estado.
Por sua vez, Dilma destacou a parceria entre o público e o privado na construção do etanolduto de Ribeirão a Paulínia e pediu aos empresários para que não esqueçam da hidrovia.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email