Amazonenses investem mais em títulos de capitalização

Após encerrar o primeiro semestre com a vice-liderança no mercado de títulos de capitalização na região Norte, o Amazonas voltou a bater novo recorde histórico na receita acumulada dos sete primeiros meses deste ano com R$ 4,4 bilhões, montante 9,72 % superior a igual período do ano passado.

A informação, divulgada pela Fenacap (Federação Nacional das Empresas de Capitalização), apontou ainda que, apesar da retração de quase 14% em relação ao mês anterior, o Estado faturou mais de R$ 5,22 milhões em julho.
Para o diretor de capitalização da Fenacap, Neival Rodrigues Freitas, o resultado reflete a importância dada aos títulos na movimentação financeira dos amazonenses, principalmente os de baixa renda, por se tratar de um dos meios mais acessíveis em termos de informação e muito mais democráticos em termos de investimento. O executivo apontou a inserção dos títulos de capitalização no orçamento familiar como ponto positivo para a criação do hábito regular de poupar dinheiro e para o despertar do interesse em investimentos em curto ou médio prazo.
“Essa percepção está ligada ao cenário econômico estável, que permite aos clientes planejar a aquisição futura de bens e serviços. Neste ponto, a capitalização é perfeita para o orçamento doméstico pelo fato de possibilitar ao consumidor a escolha do produto de acordo com seu perfil e necessidades”, disse Freitas.

A legitimação da vice-liderança do Amazonas na região Norte, segundo o executivo, pode ser explicada no fato de os públicos das classes mais populares estarem entre os principais mantenedores do crescimento em escala de progressão geométrica do segmento.

“Além da possibilidade de sorteio, a aquisição de título de capitalização significa às classes populares, antes de tudo, compromisso de guardar dinheiro, como uma proposta para concretização de algum projeto futuro que exija planejamento. E parece que o amazonense vem entendendo o recado”, comemorou Neival Rodrigues Freitas.
De acordo com a Fenacap, em nível nacional o setor bateu o recorde de faturamento mensal com R$ 669,8 milhões em julho comparativamente ao mês anterior. As reservas do setor até julho já atingem R$ 11,5 bilhões, ampliação de 5,2% em relação ao mesmo intervalo do ano passado.

Títulos populares inviabilizam retorno financeiro mais rentável

Segundo a presidente da Adcea, a formação de um patrimônio financeiro consistente praticamente inexiste em se pensando títulos mais populares como o Baú da Felicidade , “no qual se investe cerca de R$ 6 mais só se resgata R$ 3”, completou.

A devolução em longo prazo do valor aplicado adicionado da taxa de referência atualizada foi justamente o que mais atraiu a consultora de turismo Patrícia Maria Ferreira para as vantagens dos títulos de capitalização.

“No meu caso, mesmo que não seja sorteada, é um dinheiro garantido para ser resgatado dentro de cinco anos”, garantiu a profissional, que se reconheceu pródiga o suficiente para não resistir às facilidades de movimentação de retirada da poupança.

No estudo da Fenacap entre janeiro e julho comparativamente ao mesmo período de 2006, o Pará lidera a região Norte com crescimento de 18,3 % e faturamento de R$ 68,3 milhões, seguido do Amazonas com a elevação de 21 % e faturamento de R$ 36,3 milhões e Roraima, cujo faturamento foi cerca de R$ 22,5 milhões.

Concientizar o consumidor

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email